sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

MANIFESTO

Este manifesto não é um meio para discutir a cultura, a lei, a política e valores de uma civilização. Ainda que diante de inúmeros avanços tecnológicos, da evolução que se radia diante de nossos olhos, nos deparemos com o ser humano mais pobre, pobre em questão de humanidade.
Como dizia a saudosa Oriana Fallaci: "Não me agrada dizer que Tróia está a arder (...). Dizer isto equivale a dizer que as Cassandras falam realmente ao vento, que, apesar dos seus gritos de dor, os cegos continuam cegos, os surdos permanecem surdos, as consciências despertas adormecem rapidamente..."
O mundo volta o seu olhar para a defesa da vida. Em pleno século XXI, o mundo pára para se posicionar face a questões que datam mais de 2000 anos atrás.
A barbárie de outrora presente ainda hoje, a ferocidade escancarada de escarnecimento da carne. A punição desmedida que utiliza a pena de morte por apedrejamento.
Trata-se de um atraso horrível e indecoroso, que para alguns parece banal! Como podemos nos deparar com situações lastimáveis em qualquer que seja o lugar? O que nos resta fazer além de estranhar e indagar sobre os motivos, quais os bons motivos para que um fato vigente seja interpretado e legitimado que explique tamanha crueldade? Haverá explicações para a falta de lucidez, descaso com a humanidade de modo primitivo, feroz e arcaico?
Quem necessita de um "armagedom", se nos basta um punhado de tempo para notar que vivemos já no inferno, em que travestido de satanás está o próprio homem. Que direito de vida resta aos homens, se outros homens ditam o momento de sua morte? Quanta ferocidade descabida o homem ainda pode usar contra o seu semelhante?
Vidas primitivas se extinguiram pela natureza, vidas presentes estão sujeitas a serem extintas de maneira cruel.
Falámos antes de Sakineh, as nossas vozes erguem-se agora por dois jovens, (Ayub, de 20 anos, e Mosleh, de 21), escolheram amarem-se apesar de serem do mesmo sexo, amanhã tudo indica que serão apedrejados. Desta vez não houve, nem haverá petições, grandes notícias ou manifestações.
Poucos terão a coragem de se manifestar, mas a questão essencial mantém-se: barbárie versus humanidade.

Escrito a seis mãos por (Margarida / Lolipop, Lívia Azzi e Hamilton Kubo)

40 comentários:

"(H²K) - Hamilton H. Kubo" disse...

Querida Margarida, como sempre um enorme prazer em escrever contigo e a Lívia.
De fato nossas palavras mais parecem pequenas fagulhas em meio ao vendával, contudo resta nos a esperança de que estes fragmentos possam navegar o Mundo e quem sabe com um pouco de sorte seja encontrada, e re-pensada.

Beijos adorável Margarida!

Irene Moreira disse...

Amiga Loli

Não consigo ficar calada lendo este manifesto.

O princípio dos Direitos Humanos é o direito à vida, mas como devemos acabar com essa falta de humanidade se os olhos do mundo se fecham diante de tamanha barbárie?

Como podemos presenciar nos tempos de hoje uma civilização com valores que abalam ao mundo que luta pela vida, que se une para salvar vidas deseperadamente enquanto houver um coração palpitando,que se une para doar, contribuir no que for para ajudar as vítimas de tragédias?

Duro é saber que a "pena de morte" é uma realidade sem o direito a defesa, a dignidade e mais ainda aplicada pelo simples fato de não aceitarem as suas escolhas. Como me dói saber que existam seres humanos vivendo dentro desse jogo de vida e morte.

Um forte abraço e que nossas orações, nossas energias se fortaleçam e possam tocar nem que seja em forma de uma gota na esperança que outras apareçam.

Juh Salomé de Beauvoir disse...

A dignidade é (ou deveria ser) um direito e tá expresso na constituição...de todos os países. Mas, infelizmente, algumas culturas favorecem o retrocesso.

De um lado, temos o crescimento (quase) descomunal do contingente populacional, e de outro, o preconceito, irracional, embutido, enraizado.

Magnífico o texto, parabéns aos 3 que escreveram!

Carinhos!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Obviamente que defendo o direito à
vida, e nenhum regime deveria ter
o direito de o infringir, o que
infelizmente não sucede nalgumas
zonas do nosso planeta.O Amor não
escolhe sexos, a verdade não escolhe sexos. Obviamente que estou
consigo nesta denúncia.
Pelo menos, a morrerem, morrem por
amor(se é que é verdade, porque por
vezes as denúncias são falsas).Amar
e assumir com todas as consequências é muito digno.

Beijinho/Irene

Wanderley Elian Lima disse...

Sinceramente Margarida, estou chocado. Não tinha conhecimento do fato, até por causa de minha ausência e ainda não me atualizei. Onde vamos, nós os humanos? Como a comunidade internacional vê tudo isso passivamente? O que podemos fazer efetivamente, além de sentirmos muito? Estou chocado.
Bjux

nacasadorau disse...

Sweetie!

Felizmente alguém traz este tema a debate, a lume, mesmo que seja só num Blog, o teu!

Repara que nem de Sakineh se fala mais, o que significa que nada do que se faz demove as resoluções já tomadas acerca das sentenças que aqueles malditos ditam para os seus irmãos.

Se Sakineh ainda estiver viva... se, repito, ela está condenada e será executada como têm sido tantas outras e outros sem que nada seja dito.
Nem o Avaaz fala mais do assunto.
Dão-se informações contraditórias, erradas, esperançosas para acalmar a opinião pública e fazer pensar que as petições resultara... mas não! Infelizmente não!

Esta notícia dos dois rapazes gays, se veio a público tem naturalmente razões para tal.
Apelar à Imensa comunidade Gay, que até agora esteve aparentemente mais silenciosa para o facto, trará mais apoiantes para a causa fulcral...
ACABAR COM A PENA DE MORTE!!!

Esta sim é a questão de fundo pela qual todos temos que nos empenhar.

Beijinho

Mai disse...

Loli, querida,

chocante! não tinha conhecimento deste fato atroz, e ainda não compreendo como é possível que ainda hoje tal coisa seja possível. Direitos violados, radicalismos e desrespeito à vida e escolha de cada um.

um grande abraço

Lúcia Soares disse...

Ninguém tem direito de tirar uma vida, seja em nome do que for!
Que nossa indignação possa conter tanta barbaridade.
Não sabia desse caso e é tão primitivo, tão anacrônico, que parece ficção!

(Margarida, ontem acompanhei alguns blogs lhe homenageando, e não soube se era por ser seu aniversário ou do blog, ou que outra homenagem seria. Conversando no msn com a Nilce ela me disse que seu aniversário não era.Por isso não me manifestei, mas lhe desejo tudo de bom, sem motivos. Sempre!)
Beijo!

Glorinha L de Lion disse...

Muito oportuno esse post, querida Loli. Em tempos onde o respeito e o amor aos irmãos em humanidade só são ditos da boca para fora...A maioria é feita de hipócritas que posam de bonzinhos, de que não têm preconceitos e, no entanto, são repletos deles. Este caso é um acinte à suposta modernidade, aos avanços tecnológicos, à todo o progresso da ciência e do homem. Enquanto existir esse tipo de barbárie, o homem ainda será igual ao seu ancestral das cavernas...Parabéns aos 3 pelo brilhante post! Beijos,

Nilce disse...

Margarida

Até quando babáries como estas serão consideradas normais?
Até quando vão julgar e apedrejar seres de sua própria espécie?
Impuros são os que ainda cultuam tamanha ferocidade.

Parabéns aos três pela iniciativa.

Bjs no coração!

Nilce

Sônia Cristina disse...

Oi Flor,
difícil aceitar com passividade,
porque o ser-humano é assim??
porque?
fiquei chocada (como se não soubesse que existisse né)?
um bj flor

vitorchuvashortstories disse...

Olá, Margarida!

A humanidade evoluiu muito,é uma realidade,mas nalguns casos mais como consequência dos avanços da ciência e tecnologia do que propriamente da sua componente social e humana.E isto é verdade em latitudes e culturas muito diversas, algumas delas primárias, ainda que se auto-proclamem como exemplo a seguir pelo resto da humanidade, enquanto cometem as maiores barbaridades...

O homem faz parte da natureza,e esta,se virmos bem, nunca muda assim tanto...

Beijinhos; bom fim de semana.
Vitor

M. disse...

Seis mãos? Não sei se vais entender mas: nem se nota!!!!

Fantástico!

Eu sou mais simples...Do vosso conteúdo, para além da vertente literária, não diria barbárie Vs Homem...(é injusto para os bárbaros)...

Antes "estupidez in Homem":)


Vou reler o vosso texto...seis vezes:)

Leo disse...

Eu vim através da lívia, adorei tudo aqui, te sigo e abraço.

Marli Borges disse...

Olá Margarida!
Estou vindo lá do blog do Hamilton.
Pra evitar a tautologia, reproduzo aqui o comentário que fiz:
"...,
Parabéns pelo manifesto. Maravilhoso! Assino embaixo. Alguns de minha geração, independente de culturas ou crenças, ou a propósito das mesmas crenças, infelizmente sucumbiram aos valores deturpados, ao fanatismo, ao preconceito, à crueldade e à mentira. Mas graças a Deus, a turma que comanda essas atrocidades já está na velhice e certamente morrerão, ficando o comando com as gerações mais novas. (A propósito, não duvide, a morte é o maior reformador do mundo, rsrs!) Estou depositando minha esperança nesse pessoal que está desabrochando, talvez eles consigam efetivamente serem sujeitos de seu próprio futuro. Talvez falem alto e sejam ouvidos a ponto de, pelo menos amenizarem essas culturas insensatas, tão retrógodas quanto indecentes. Por isso, penso que manifestos dessa natureza são profícuos, são sementes lançadas que irão aos poucos germinando e dando frutos. Frutos bons. Acredito nisso, preciso acreditar.

Renovo meus parabéns."
Agora irei lá na Livia.
Bjsssssss

Amara disse...

Oi Loli
Estou chocada não sabia do caso desses dois meninos.
Até quando vamos conviver com esse tipo de barbáries!
Onde está os Direitos Humanos?
Parabéns pelo seu post.
Bjsss
Amara

Elisa no blog disse...

Que horror, não sabia sobre o apedrejamento desses dois jovens. Incrível ver que as pessoas não se levantam para defender quando veem que se trata de homossexuais. mostra como esse preconceito é ainda tão arraigado na nossa sociedade.
Elisa

Lu disse...

Oi Querida,
estou horrorizada com mais essa barbaridade.
como é possivel os Direitos Humanos não interferir,não fazer nada por esses Meninos e por tantas outras Vitimas.
Beijo Lu

Janita disse...

Olá querida Loli.
Uno minha à vossa voz, nesta revolta pela inadmissível violação dos mais elementares direitos do ser humano. Neste caso a orientação sexual, também abrangida pela Declaração Universal dos Direitos do Homem.
Não interessa a proclamação de direitos, enquando os homens que governam as Nações não se consciencializarem do sentido que representa a verdadeira liberdade.
Força!
Beijinhos
Janita

. intemporal . disse...

.

.

. associo.me ir.remediavel.mente ao teu apelo,,, na derradeira tentativa de remediar o mundo .

.

. há tanto tão tese e nunca ascese .

.

. um bom fim.de.semana .

.

. deixo.te mais este apontamento de ternura .

.

. e.terna.mente,,, .

.

. paulo .

.

MANUPINK disse...

PROTESTOS É SEMPRE BOM!!! PARA QUE HAJA UMA REFLEXÃO E DAÍ AS MUDANÇAS!
ADOREI SUA VISITINHA NO MANUPINK, Q BOM Q GOSTOU DAS MINHA FOTINHAS, BJOKITAS!BOM FIND!

diariodumapsi disse...

Ei Loly!
É inadimissível que coisas tão bárbaras ainda aconteça ainda nos dias de hoje,mostra como o homem evoluiu tão pouco mentalmente.
É desumano tais atitudes!

Obrigada pelo carinho e parabéns para você também.
Gd beijo

pelasuica disse...

Amiga Margarida!

O seu texto diz tudo, pouco mais posso acrescentar, excepto indignar-me com a forma como o Mundo encara e permite que este horror continue.
Estamos na Idade do Terror. Que vergonha,

Abraço solidário, não pude escrever nada ontem, mas li e a mãe falo-me de si com lágrimas na voz.

Pedro

Leo disse...

Você me acertou em cheio!
Dylan Thomas é meu ponto fraco!!

te dedico esta série de poemas dele.

http://umolharsonhador.blogspot.com/search/label/Dylan%20Thomas

Abraço.

Lu Nogfer disse...

Eu fico realmente estarrecida com esse tipo de atitude que ocorre entre seres humanos!
Mas sera que posso chamar "tais seres" de humanos!?
Pra mim, a crueldade desnecessaria ou a brutalidade...(Sei la como podemos chamar tamanha ignorancia nessas alturas da vida independente de lei islamica ou outra quailquer...), os excluem do grupo humano...
Porque humano que é humano tem que ter coraçao que sangre, sofra e sinta dores por outro ser humano.

Nem tenho palavras exatas para expressar o que estou sentindo...
E que Deus se compadeça destes que se julgam donos da vida.


Parabens aos queridissimos amigos pelo texto-manifesto tao bem escrito!

Temos que nos manisfestar para pelo menos tentar combater esse mal enquanto nao toma conta de todo planeta!

Beijos com carinho!

Lívia Azzi disse...

Muito querida Loli,

escrever contigo e com o Hamilton é sempre um prazer enorme, inclusive quando se trata de uma manifestação que nos deixa chocados e impotentes. Aliás, impotentes em parte, pois não falamos sozinhos e muitas vozes nos apóiam.

Beijos...

Blog da Fofa disse...

Oi Margarida. O ser "humano" pensa que pode julgar e fazer "justiça" com as próprias mãos, esquecendo q todos tem fraquezas. Acha q é perfeito que tem poder Por isso mtas vezes prefiro os animais. Um grande bjoooo p vc com carinho

Bia disse...

Oi linda Flor!

Fico a perguntar, onde fica o tão celebrado "racional"?

Sempre converso com meu esposo sobre as atrocidades de guerra e principalmente as guerilhas de África, comflitos de etnias etc. A crueldade, a bestialidade estão se banalizando através da mídia, com certeza podem até alguém filmar a barbárie e colocar no youtube, será que é para denunciar? Ou mostrar mais uma ação do lado negro do homem?

É muito triste...

Um fim de semana mais humanizado neste planeta terra...

Carinhossssssssssss

Meri Pellens disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Meri Pellens disse...

Realmente apedrejar, matar, não resolverá o problema social... Neste caso, nem problema é, mas apenas incômodo às mentes preconceituosas e ignorantes.
Não podemos deixar de nos manifestar e lutar sempre pelo direito primordial à vida, seja no lugar, cultura ou religião que for. Pois antes de qualquer direito disto ou daquilo, o ser humano tem o direito de viver, e isto desde que é concebido no ventre materno.
Excelente post, amiga.
Beijo na sua alma iluminada!

Chica disse...

Parabéns ao trio que junto escreveu esse importante manifesto!Não podemos calar diante das barbaridades!beijos,chica(estou em férias, por isso menos presente...)

Ana SS disse...

Que mãos bonitas escreveram esse texto tão ácido e que tão bem delineia a crueldade humana. A desumanidade humana. O paradoxo da vida.

Anne Lieri disse...

Loli,fico tb chocada e revoltada com a atitude de certos paises com relação as mulheres e homossexuais.O preconceito e a maldade,chegam a cegueira total!Um texto muito bem explicado e interessante!Bjs,

Luis disse...

Meus Bons Amigos,
Que as Vossas Mãos se não cansem de se manifestarem contra estas e outras atrocidades do mesmo tipo que revelam a "bestialidade" existente no homem. E ele ainda se quer igualar a Deus?
Um abraço solidário e muito amigo.

Maria Helena disse...

Queridos,

Mãos que tecem as letras e formam palavras que marcam a história e transmitem compaixão.
Mãos que paralelamente optam por pegar pedras, que seriam para construção, para punir semelhantes.
Mãos que se entrelaçam com outras mãos para formar a corrente da paz.
Mãos que paralelamente se entrelaçam para promover a destruição.
Mãos que se entrelaçam pelo caminho da omissão.
Para onde iremos?
Que caos já temos?
Que caos criaremos?

Meus queridos, parabéns pelo post que me inquietou. São verdades anestesiadas pelo dia a dia.
Não podemos esquecer do que acontece todos os dias no palco ou por detrás dos bastidores!

Bjs!

Inaie disse...

querida, de onde eles sao? Onde esta acontecendo essa barbaridade?

Inaie disse...

Eu e o Belmiro ( quando ele ainda vinha as minhas festas), viviamos trocando figurinhas sobre as diferencas entre o Portugues de Portugal e do Brasil...

"fazer um bico" - trabalho casual, sem contrato

" bicha" - homossexual

E se um brasileiro fala "cu", o mundo cai, por que para nos, "cu" e um feissimo palavrao ( anus, da maneira mais vulgar possivel).

E assim caminha a humanidade. E se o Belmiro nao parar de frescura, quem nao vai mais convida-lo para as minhas festas sou eu...kkkk

EdeA by Ester disse...

Hoje mesmo vi um filminho no facebook que um amigo postou onde mostrava um muçulmano ensinando na Tv como se deve bater em uma mulher segundo a lei islâmica...

Tudo uma barbarie inacreditável versus a humanidade como voce mesma diz.

Amiga, quando tudo isso vai acabar?
O seu post foi como um grito de "dispiacere" (desprazer!?).
Beijos no cantinho reservado pra mim hehehe

Ângela disse...

Queridas amigas, Margarida e Livia e querido amigo Hamilton, julgar é fácil e simples (pensam eles), mas ninguém é capaz de olhar pra dentro de si e, julgar a si próprio porque são doentes e incapazes. Lembram : Que atirem a primeira pedra quem nunca cometeu nenhum pecado. Quem somos nós para julgar e punir quem quer que seja.
Haminton não são fagulhas, são petálas de flores jogadas ao vento, que alguém ao longe poderá sentir seu perfume. Vamos tentar acreditar que isso possa ser possível.
beijos e carinhos.

Laura Saldanha disse...

Você esta absolutamente certa . Mas me chamou muita atenção a frase: "Que direito de vida resta aos homens, se outros homens ditam o momento de sua morte?". Fez me pensar que isto não é um fator de todo negativo, já que, tendo o poder de encurtar uma vida, também temos o poder de prolongar a vida das pessoas. Como nos mostram todos os dias nossos heróis do dia a dia. As pessoas, que são gente e que valem a pena.

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger