quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

O DUALISMO DO AMOR

Há uma história da mitologia Taoísta que me apetece contar-vos hoje.
No começo do não-começo ( o Taoismo tal como o Zen expressa-se em paradoxos), Espírito e Matéria, envolveram-se num combate mortal.
 Por fim, foi o Imperador Amarelo, o sol celeste, que triunfou sobre o demónio da escuridão e da terra: Shuhyung. Mas não sem que este último, na sua agonia mortal, tivesse estilhaçado a abóbada celeste, deixando em fragmentos a redoma azul como o jade.
As estrelas perderam os seus ninhos, e a lua teve como destino vaguear pelo abismo da noite.
Desesperado o Imperador Amarelo procurou por todo o lado quem fosse capaz de consertar o céu. Foi do mar do Oriente que surgiu, então, a divina Niuka, deslumbrante na sua cauda de dragão e armadura de fogo.
 No seu caldeirão mágico, Niuka misturou todas as cores do arco-íris e reconstruiu o céu. Mas, diz-se que se teria esquecido de preencher duas pequenas fissuras no azul do firmamento, o que deu origem ao dualismo do amor: duas almas percorrendo o espaço sem descanso, até se reunirem e completarem o universo.

Fonte: Okakura Kakuzo, The Book of Tea

32 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Que bela lenda! E coincidentemente, tem tudo a ver com meu post de hj e com o que te respondi lá...somos duais e ambíguos, luz e sombra, precisamos do lado obscuro e sombrio para que o lado luminoso brilhe ainda mais! Luz, minha Loli, muita luz pra todos nós! Beijos!

M. disse...

Belo. Tem um encanto que dificilmente a ciência algumas vez terá...

Quem me dera acreditar...

Camila disse...

Oie querida!
Estou te seguindo.
Participa do sorteio que está rolando no blog.
1 clutch, 1 cesta de pães de mel, 1 mini agenda 2011 e 1 lingerie!
Beijos
www.milipavan.blogspot.com

Wanderley Elian Lima disse...

Belo. Adoro esses lances mitológicos.
Bjux

Rogério Pereira disse...

Abençoada distração de Niuka
e as fissuras do firmamento
não preenchidas
pois o melhor que acontece a duas almas
é poderem unir suas vidas...
(ainda que tenham de percorrer o espaço sem descanso...)

Boa?

Lua Nova disse...

Maravilhosa história... e não é assim mesmo... o universo parece absolutamente perfeito quando encontramos o amor... A mitologia taoísta é belíssima, de uma delicadeza e uma força que se completam.
Obrigada por compartilhar.
Beijokas.

Ana SS disse...

Belíssima história.
E então, o amor nasce do erro.
Dá pano pra manga, não?

Um beijo.

diariodumapsi disse...

Ei Loly!
Que linda história, existe por trás dela muito simbolismo, pois o amor tem duas faces!
Gd beijo

Carla Nunes disse...

Mitologia é o tipo da coisa que me encanta! :)

:*

nacasadorau disse...

Querida Loli!

Adoro estes contos, fico embevecida e deslumbrada como se fosse criança!

Tarefa árdua a da divina Niuka; a de misturar todas as cores do arco-íris para restaurar o céu.

Mais difícil ainda... é encontrar a alma gémea que completa o universo.

Adorei mesmo!
Loads of love.

Beth/Lilás disse...

Querida Lolipop!
Nunca tinha lido nada sobre a mitologia nipônica e fiquei mais uma vez, encantada com tudo que li.
A narrativa nos permite visualizar a luta entre os dois e tudo que criaram com isto.
Muito linda esta lenda.
bjs cariocas



(Já vi teu recado e deixei ontem o email num post mais abaixo, ok).

Jeff disse...

Adoro mitologia !!
Yin e yang!!
Achei legalzim a ideia de avatar!!
Me lembra muito a cultura oriental!!
Banzai (não sei o que significa xD )

ONG ALERTA disse...

Os dois lados da vida, mas vivemos em busca da luz, beijo Lisette.

orvalho do ceu disse...

OLá, querida
A dualidade do amor existe porque somos ambíguos... eternamente inconsistentes...
Interessante a fábula!!!
Boas Festas!!!
Bjs de paz

Chica disse...

Linda e mágica lenda!!!um beijo,tudo de bom,chica

Meri Pellens disse...

Linda essa forma de contar... ai, ai... o amor.

Beijo na alma.

Beatriz - Jubiart disse...

Amor..........Você já percebeu que as melhores histórias de amor tem um final trágico?
Se não fosse essa dualidade, nós não seríamos humanos rsr (pura achologia).

Fim de semana cheio de alegrias...

Beijocas.

Maria Helena disse...

Amigaaa!!! Que maravilhosa lenda! A mitologia me fascina! Somos mesmo luz e sombra. A dualidade nos impele a busca, ao horizonte... Lindo post.
Beijos!

Paulo Becare Henrique disse...

Belíssima história de uma belíssima tradição filosófica/religiosa. Como acontece quanto ao Budismo, me sinto muito atraído pelo Taoísmo. Faz tempo que venho me prometendo visitar este templo aqui: http://www.taoismo.org.br

O comentário da Ana Suy foi de uma perspicácia tipicamente psicanalítica, digna de aplausos... rs.

Beijo carinhoso.

P.S.: Torçamos para que seu entusiasmo quanto à Sakineh não tenha sido prematuro, mas sim premonitório - se bem que não creio nessas coisas...

Maria Elvira Bento disse...

Passei hoje por aqui pela primeira vez e...descobri uma fonte de excelentes ensinamentos. Gostei, por isso vou voltar.

Ângela disse...

Minha Flor, não acredito que o amor tenha duas faces, se ama ou não e ponto final, assim que penso por amar demais. belissíma lenda assim como o erro de Niuka.
Recebi seu e-mail, obrigada, mas não consegui abrir o link.
As vezes vc me vem a cabeça e sinto uma vontade enorme de abrqaça-la.
beijos e borboletas com carinho.

Lívia Azzi disse...

É inerente ao ser humano estar com outro, se lançar para fora, e isso faz pensar no amor como direção ao outro. Se nos lançarmos apenas para nós próprios, nos perderemos em nossos próprios abismos. A questão está saber se lançar sem se perder.

Um beijo e um excelente final de semana!!

Lívia Azzi disse...

A questão está EM saber se lançar sem se perder...

Betty Gaeta disse...

Oi margarida,
Eu adoro mitologia e esta lenda é belíssima. Eu não conhecia.
Bjkas e um ótimo final de semana para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Manuela Freitas disse...

OLá,
Aprecio bastante essas histórias ou lendas...são fascinantes e contém muita sabedoria!
Estava a ler e a pensar em Platão, no seu livro «O Banquete», na procura incessante da alma gémea, muito difícil de encontrar!...
Beijinhos e bom fim-de-semana,
Manú

Sônia Cristina disse...

Oi meu amor,
O Dualismo do amor.
O amor...
o arco-iris...
o ceu é o limite...

Claro que pode amiga, se tú acha que eu mereco, só me invaidece, só linkar meu texto ao teu blog...
um bj amada
Ogrigada

Élys disse...

Lolipop
Encantadora esta história da mitologia Taoista. Um dia estas duas almas vão se encontrar e vão corrigir assim a distração de Niuka.
Desejo a você um Natal muito feliz e um ano de 2011 com muita paz e ventura.
Beijos

Sônia Cristina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sônia Cristina disse...

amiga, que ,lindo adorei.
o que vc fez é a magia da gentileza
Olha, ontem quando vc copiou o post eu percebi que tinha colocado uma data errada e faltou uma coisa que eu queria acrescentar,
faz a gentileza de copiar e colar novamente flor
bj amada

EdeA by Ester disse...

Lolyyyy quanta saudade querida.
Me atualizei com seus post, nas lendas, no natal, relembrei do malabarista em NY, Fernando Pessoa muito lindo.... e o relato dessa bela coragem da sua amiga (fui comentar no blog dela, é claro).
Tudo muito lindo, parabens pela sua sensibilidade.
Eu, depois de 'trancos e barrancos' me vieram os ânimos e tou aqui.
beijinhos

Reflexos Espelhando Espalhando Amig disse...

Ei!
Estou sempre pro aqui.
Vim do Espelhando,
sugestão do Lupo.
Adoro por aqui.
Bjins entre sonhos e delírios

Denise disse...

Oi minha flor!
Que história mais bela, estou encantada...
Bjinhos carinhosos

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger