sexta-feira, 5 de novembro de 2010

O BUDISMO ZEN NO PERÍODO ASHIKAGA

O clã Ashikaga  dominou o Japão de 1336 a 1573. Este Período é também conhecido como Muromachi, nome retirado duma rua de Quioto onde um dos shoguns Ashikaga teria estabelecido a sua residência, Hana no Gosho ou Palácio das Flores, pela abundância de flores nos seus jardins.
O ramo Zen do Budismo, já se tinha tornado predominante no Japão durante a época que o antecedeu, o Periodo Kamakura. Zen, vem da palavra Dhyan, que significa meditação em supremo repouso, e foi introduzido na China por volta do ano 520 por Bodhidharma, um principe Indiano que se tornou monge.
A filosofia Zen, influenciou largamente os samurais. Não usar a espada, mas ser a  espada - pura, serena, imóvel - tal era o ideal dos guerreiros Ashikaga. O seu treino centrava-se num perfeito auto-controle, a essência da verdadeira liberdade. As mentes iludidas, mergulhariam na escuridão, porque tomavam o atributo pela sua substância. Este pensamento era muitas vezes ilustrado, com o exemplo dos macacos que procuravam agarrar o reflexo da lua na água, a cada esforço conseguindo apenas aflorar a imagem espelhada, e por fim, não só destruindo essa lua fantasma, como acabando por se afogar.
O corpo é um vaso de cristal através do qual o arco-íris da Grande Existência brilha. A mente é como um grande lago, relectindo as nuvens acima dele, por vezes encrespado por ventos perturbadores, mas logo retornando à sua calma original, nunca perdendo a sua pureza, ou a sua verdadeira natureza. O mundo enche-se com um pathos de existência, paixão, sofrimento, que são, no entanto, meramente acidentais, e devemos batalhar e guerrear como se fosssemos para uma comemoração.
A vida, a arte, e até a cerimónia Japonesa do chá, beberam dos ensinamentos Zen.Tal como a vida do Universo pulsa sob as mais simples aparências, assim a beleza é mais profunda no interior do que nas suas manifestações externas. Sugerir, não mostrar, é o segredo da perfeição.
Fonte: The Ideals of The East, Okakura Kakuzo
Imagens da net

19 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Uma filosofia perfeita, o grande problema é colocá-la em pratica.
Um ótimo fim de semana
Beijosa

Nilce disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nilce disse...

Oi Margarida
Quanta coisa aprendemos contigo sobre a Cultura Oriental. Só tenho que te agradecer querida.

Espero que esteja bem.
Excelente final de semana.

Bjs no coração!

Nilce

Fernanda disse...

Sweetie! Loli!

Cada vez me apaixono mais por esse "nosso" Japão amado! Pela sua cultura e por tudo o que nos aqui mostras e revelas em forma de palavras e imagens.

Perfeito!

Beijinhos

Rogério Pereira disse...

Eu: Isto é liiiiindo!
Meu Contrário: Que percebes tu para ajuizar?
Minha Alma: Ele não ajuizou, apenas gostou

(nem sempre a Minha Alma concorda comigo... mas também ela gostou)

Beth/Lilás disse...

Olá Lolipop!
Uma das transformações que gostaria na minha vida, seria transformar-me numa pessoa zen. Acho isso fantástico!
Esta frase diz tudo "a beleza é mais profunda no interior do que nas suas manifestações externas".
um abraço carioca

Tatiana disse...

Oi Margarida!!
Eu sempre comento la no blog do Alex como essa cultura me fascina, mas como diz o Wanderley acima, o problema maior é, nos ocidentais, conseguirmos colocar em pratica...rs,tarefa árdua!
Quer dizer que voce conheceu Playa Del Carmen,é? É uma cidadezinha muito fofa mesmo!!
Bjs.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

vc foi em Tochigi (próximo a Tokyo) ver os templos e o que sobrou dos castelos do clã Ashikaga? é tão bonito lá...
se é verdadeira a idéia da reencarnação, vc vivia lá ou interagiu por lá, certamente...

eita Margarida, que consegue destrinchar um assunto tão difícil em um texto que a compreensão é clara e objetiva. adorei!
um bom fim de semana!

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

e lembrei de vc! hj e amanhã tem na cidade vizinha, Okazaki, o Jazz Street Festival
As ruas ficam tomadas pelo jazz, que é a música oficial de Okazaki.
já te imaginei lá, dançando, cantando, feliz!
bjs minha amiga do coração

Paulo Becare Henrique disse...

Sou profundamente interessado no Zen-budismo. Um dia ainda crio coragem (sim, no meu caso isso demanda coragem. O motivo disso? É uma loooonga história) e vou a um templo bastante conhecido que tem aqui em São Paulo.

A última imagem do seu post parece ser uma cena do filme "O Último Samurai" com o Tom Cruise. Mesmo que não seja, a foto me remeteu a ele. Eu simplesmente amo esse filme. Revejo-o sempre que posso e sempre me emociono com ele.

MARIINHA disse...

Sempre lindos os teus textos. Tu é que eras mulher para me fazer um favor. Podias passar pela minha Mansarda e ver se um post que lá está que publiquei hoje de manhã, tem uma pequena frase em japonês bem ou mal escrita. Obrigada e beijinhos. Bom Fim de Semana

Paulo Celso disse...

Sempre compartilhando belas e sábias palavras e imagens. Que todos os seres possam ser beneficiados.
Gasshô.

Fernanda disse...

Querida loli!

Voltei para reler e dei-me conta do quanto tudo o que aqui está escrito me diz respeito efectivamente.

"O corpo é um vaso de cristal através do qual o arco-íris da Grande Existência brilha. A mente é como um grande lago, relectindo as nuvens acima dele, por vezes encrespado por ventos perturbadores, mas logo retornando à sua calma original, nunca perdendo a sua pureza, ou a sua verdadeira natureza. O mundo enche-se com um pathos de existência, paixão, sofrimento, que são, no entanto, meramente acidentais, e devemos batalhar e guerrear como se fosssemos para uma comemoração."

O facto dos macacos se afogarem na tentativa vã de apanharem a lua, lembrou-me um história que li em Inglês, Grasp All Lose All!

Kisses and cuddles.

Betty Gaeta disse...

Oi Margarida,
Assim vc vai me converter ao zen budismo! Seus textos e imagens são inspiradores.
Bjkas e um ótimo sábado para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

soporagora disse...

Que lindo todo esse texto!
E de grande reflexão.
Beijos na alma!

Carla Farinazzi disse...

Lolipop,

Linda filosofia de vida... O corpo é um vaso de cristal e a mente é um grande lago. A beleza é mais profunda no interior do que nas suas manifestações externas... Ótima reflexão. Sugerir, não mostrar. Eis um fundamento belo o ato de ensinar.

Gostei!

Beijos

Carla

MikMary (Micaela Fernandes) disse...

Olá Margarida,
muito bonito o texto.
Adoro passar por aqui.
Um abraço
MikMary

Lívia Azzi disse...

Querida Loli,

O perigo maior da salvação é a ilusão, corremos o risco de nos afogar nas águas de nossa própria imaginação. Por outro lado, o realismo em excesso também não é lá muito saudável; pesquisas apontam que as pessoas que melhor conhecem a si mesmas são mais suscetíveis a depressão...

Pelo que percebi lendo seu post, a grandeza dos ensinamentos da filosofia Zen, consiste em um treinamento para alcançar a liberdade e livrar-se da ilusão, ser a espada imóvel ao invés de usar a espada. Ou seja, não importa o caminho que iremos tomar, não haverá um caminho melhor ou pior, mais seguro ou mais garantido.

Ir ou ficar deixa de ser o problema, aprendemos a superar nossas expectativas, medos e bloqueios, quando descobrimos que a liberdade pertence àqueles que não têm medo da chuva, percebemos que a escolha não está entre um ponto e outro, e sim diante de infinitos pontos.

Batalhar e guerrear como se fôssemos para uma comemoração, me lembrou em outras palavras, o slogan do filme "Extrema felicidade" do Jabor, "a vida gosta de quem gosta dela".

Um beijo, com carinho!

Denise disse...

Olá minha querida,

Post extraordinário, mais um assunto que estou conhecendo através do seu post!

Ótima semana, bjinhos!

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger