sexta-feira, 22 de outubro de 2010

AMIGOS DE ALUGUER...PARTE II

Já aqui disse qualquer coisa de semelhante. Um blogue precisa de leitores para se sentir completo, e se não fossem os meus amigos e seguidores, e aqueles que frequentemente aqui comentam, o Banzai já tinha fechado a portinha, rapado o cabelo e dado entrada num Templo Zen... (pronto , talvez esteja a exagerar um bocadinho...). Bom, mas onde é que quero chegar com isto? 
É que, adorei os comentários ao post anterior, sobretudo pela alternância de anuências e desacordos, de opiniões diversas e todas elas muito pertinentes. Foi isso que me estimulou a retomar este tema.
Acho que ficou por dizer, que  não tenho o menor preconceito contra a venda ou o aluguer seja de que serviço for. Chorar em funerais, colocar lâmpadas, aparar a relva, facilitar a vida aos estrangeiros que vão residir num país que não é o próprio, acompanhar idosos, ir ao cinema, ou até simplesmente conversar.  Mas já não penso da mesma maneira quando para isso se utilizam palavras que possuem um significado importante,  que importa não perder ou adulterar.
Podemos ter toda a vida excelentes relações com colegas, vizinhos, e outros, sem termos, de facto, um amigo entre eles . A amizade é um encontro, uma afinidade profunda que sentimos face a outra pessoa, mas uma afinidade que não pressupõe identidade de opiniões, nem as mesmas metas ou desejos. É fazer um pedaço de estrada em conjunto, cada um estando com o outro não por interesse ou cáculo, mas porque sente que deve percorrer aquela estrada. O amigo, é aquele que nos faz sempre entrever a meta, e faz conosco uma parte do caminho. Desinteressadamente, sempre atento, reconforta-nos, aconselha-nos, encoraja-nos, deixando-nos sempre livres para sermos nós próprios.
Como diz Francesco Alberoni - "Nenhuma forma de amor tem tanto respeito pela liberdade como a amizade." E reconhecer  a liberdade doutra pessoa, respeitá-la, significa considerar essa pessoa um fim e não um meio.
 Por tudo isso, a amizade tem um forte conteúdo ético, que se destaca ainda mais numa sociedade em que a solidão é uma presença constante, os valores aparecem invertidos ou em queda livre, e para "desamigar" basta clicar num botão do FaceBook.
Podemos alugar um corpo, mas nunca compraremos o amante, ou o amor. Da mesma forma, podemos pagar um acompanhante, mas nunca compraremos um AMIGO, ou a amizade. 
Um amigo, é um amigo, é um amigo. E as palavras ainda são importantes.

TERNURAS

LOLIPOP

14 comentários:

Inaie disse...

:-)

Fernanda disse...

Querida Margarida, sweet Loli!

Estava já a ficar preocupadíssima.
Há dias que não sei nada de ti e sabia-te "doente".
Espero que estejas bem, AMIGA, com letra maiúscula, mesmo!

Voltaste muito bem ao tema e está tudo crystal clear.

Obviamente que a amizade não se paga, não se contrata, nem se vende, não a verdadeira!
Ela surge, é espontânea é um sentimento.
Sentimentos não se compram, nem se alugam! Felizmente!

"Os verdadeiros amigos são os solitários juntos "
Fonte: "A Amizade"
Autor: Bonnard , Abel

Beijinhos

Wanderley Elian Lima disse...

Fico me perguntando o seguinte: Como se sentirá uma pessoa que precisa alugar um amigo? Acho isso o cúmulo da solidão, da incapacidade e da pobreza de espírito. Concordo com você, da para alugar tudo, até barriga, mas amigo não dá.
Beijos

o mar e a brisa do prazer de aprender disse...

amigo não se define somente amamos.
Gostei na nova " roupagem" . Bjs

Rogério Pereira disse...

Cena I - Quanto custa este ao dia? Que caro, mas tá bem levo por 3 dias...

Cena II (no dia seguinte) - Venho reclamar, as pilhas estam-se a acabar...

Boa?

(claro que na vida real as coisas são mais complicadas, mas há pessoas que não aceitando o principio teórico assumem na prática o "aluguer" da amizade...)

Beijos pelo tema

Astrid Annabelle disse...

Olá Margarida!
Li todos os comentários do post anterior antes de vir postar meu comentário.
Concluí o seguinte:
-amigo não se compra, nem se aluga...ou você tem amigos ou não.
-o que é passível de remuneração chama-se de acompanhante...amigo é a palavra mal empregada nesse negócio.
Conclusão...basta trocar o vocábulo e tudo fica certo!
Falei e disse...kkkkkkkk

Você melhorou?
Espero que sim.
Estou lhe enviando Reiki desde que soube que estava doentinha!!!
Um beijo gostoso
Astrid Annabelle

Meri Pellens disse...

Eu já ouvi falar de serviço de companhia, fazer companhia à alguém... Mas amizade é diferente... Amizade por si só é um sentimento espontâneo. Quando entra o interesse de lucro, já não se pode dizer que seja amizade sem macular tal sentimento.
Beijos na alma, Margarida!

Lívia Azzi disse...

Loli, querida!


A discussão proposta é também uma crítica sobre a alienação provocada pela cibernética e o simularco. Está nítido que confundem o “aluguel de um corpo” com o estabelecimento de vínculo afetivo, do mesmo modo no qual confundem informação com conhecimento!

Assim como os valores e as relações humanas não podem simular a aparente sensação e ilusão de serem resultados contratuais e contábeis, ao invés de significar a ação e reflexão interligada e vinculada ao homem. Uma palavra como a amizade também não poderia ser banalizada e distorcida como uma mercadoria, contrato ou que quer que seja!

A reflexão que nos apresenta é brilhante!

Um beijo!!

Lívia Azzi disse...

"o que é passível de remuneração chama-se de acompanhante...amigo é a palavra mal empregada nesse negócio"

Bem ponderado Astrid!!

Abraços!

Vitor Chuva disse...

Olá, Margarida!

Não faça isso; não rape o cabelinho, nem entre em clausura!Olhe que lá não deve haver Internet, nem blogs,nem muitas outras coisas ... imagino eu.
Quanto à prestação de serviços - que hoje existem para tudo e mais alguma coisa - sentimentos não são um produto que se possa vender ou alugar.Se calhar, daria jeito que que assim pudesse ser já que cada vez mais serão as pessoas a desse "serviço" precisar. As aldeias "fecham", os subúrbios sem alma crescem em número e dimensão, e este tipo de solidão é inevitável para muitos dos desenraizados.E inverter esta tendência "suicida" não parece que preocupe muito quem governa, e assim...

Obrigado pelo comentário simpático.

Abraço amigo, bom fim de semana.
Vitor

Giardia disse...

Loili, Loli, Loli!!


Do meu jeito parasita de ser e essa mania (péssima!!) de comer as palavras... ainda sou exterminada por um pantelmin qualquer! Porque as palavras, essas, ficam ao meio e sempre cortadas por pontos paragráfos ou reticências.

Mas estamos aqui, não estamos?

Bom fim de semana.

EdeA by Ester disse...

Eu demoro, mas qdo eu volto dô vários pitecos, não é verdade Loli? hehe
Amigo é amigo e eu dou graças a deus de não precisar de um serviço como esse, mas algum motivo deve haver para passar a existir.
Loli, daquilo que já escutei de estórias que passaram certos amigos hoje em dia não me admiro mais sobre o que uma pessoa pode passar na vida e com isso buscar uma alternativa desse genero.
Não acho nada estranho porque cada cabeça é um mundo!!
Aliás, talvez surgiu na hora certa pra certas pessoas.
(continuo dando graças a deus a vc de não ter que raspar a cabeça e ir pra algum templo hahaha).
bjs te adoro e de novo, BUONA DOMENICA!!!!!

Bah disse...

Bom, é triste esse tipo de situação, mas se há o serviço é porque existem pessoas querendo...

Kisu!

Talles Azigon disse...

aluga eu amor ^^ huauhahuauhauhahuauh

nha pra você eu sou de graça ^^

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger