quarta-feira, 30 de junho de 2010

Os Mestres das Flores

Diz-se que no Japão, os primeiros arranjos florais teriam sido feitos por monges budistas, que juntavam as flores estragadas pelas intempéries, na sua infinita solicitude para com todas as coisas vivas, colocando-as em jarras com água. Os Mestres do Chá, viriam a tratar as flores com a mesma reverência e uma veneração quase religiosa, nunca colhendo ao sabor do acaso, mas tendo sempre presente a composição artística que têm em mente, cortando apenas o absolutamente necessário e associando sempre as folhas, caso existam, com a flor, para apresentar toda a beleza da planta.
 Quando a flor é escolhida, é disposta no tokonoma, o lugar de honra numa sala japonesa. Nada será colocado perto que possa interferir com o seu efeito. Quando a flor murcha, é carinhosamente deixada no rio ou enterrada na terra.
No seu livro "THE BOOK OF TEA", Okakura Kakuzo, critica o desperdício de flores no Ocidente, a profusão de flores que enfeitam salas e mesas, servindo o capricho dum momento, para cedo serem sem remorsos deitadas ao lixo. No Ocidente, a flor única é uma coisa de pobres, os ramos, oferecidos em cerimónias diversas, querem-se quanto maiores melhor. A decoração das casas, segue o mesmo esquema de abundância e redundância. De quadros, de móveis, de bric-a-brac.
Okakura, admira-se da nossa existência, dia após dia, no meio de tanta confusão de cor e formas. Como ele próprio diz, ninguém é capaz de ouvir diferentes peças musicais em simultâneo.

15 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

E são mestres até hoje em arranjos florais.
Beijos

"Hamilton H. Kubo - Profundo Pensar" disse...

Lindo Margarida, quem dera o valor fosse dado como devido.
Quem dera se cuidar de tudo que tem vida, e mesmo depois dela respeitar a beleza que nos deu em vida.
Perfeito, e como sempre a me ensinar!!

Beijos minha linda.
Obrigado por tudo, de quem aprendeu a lhe admirar...

H²K

Denise disse...

É de se admirar por terem um gesto tão bonito de apreciar a planta não só como ornamento, mas por existir vida e acima de tudo respeitá-la colocando num lugar de honra.

Adorei o post, Margarida!

Bjs carinhosos

Nilce disse...

É a contemplação do belo por excelência e respeito.
Tenho admirado muito esse respeito com a natureza e principalmente com as flores nos posts do Ale, também.

Parabéns, Margarida, muito bem explicado.
Obrigada por mais esse conhecimento, minha amiga.

Bjs no coração!

Nilce

Tabeteimasu disse...

A última frase me fez refletir um pouco...quando você disse que ninguém é capaz de ouvir diferentes peças musicais em simultâneo, pensei que muitas vezes buscamos tantas coisas, sempre em quantidade e no final não apreciamos nem contemplamos tudo que temos como deveríamos...

Muitas vezes o menos é mais!

Beijo,
Carlos

Júlia disse...

ultima frase!

Meri Pellens disse...

Nunca havia pensado nesse exagero da decoração ocidental, porém não acho totalmente errado. Depende do ponto de vista. Em se tratando de flores, sim, acho que há muito desperdício mesmo. De minha parte as prefiro no jardim, ou em vasos plantadas na terra para sempre florirem.
Beijos na alma, querida.

Talles Azigon disse...

temos muito e muito o que aprender com os sábios orientais, foi combinado você e a Betty falar de flores, deixaram vocês o meu dia mais florido

Betty Gaeta disse...

Oi Margarida,
Eu fiz um curso de ikebana há algum tempo, mas não sou boa com arranjos. Acho lindo!
Bjkas e uma boa quinta-feira para vc.

Ângela disse...

A palavra ikebana é geralmente traduzida como "a arte japonesa de arranjo floral",a arte da ikebana é milenar e teve origem no Japão. Sofreu influências do budismo, pois os seguidores de Buda ofereciam flores a ele para demonstrar agradecimento. Os japoneses também viam nas flores uma forma de agradecer a Deus, e colocavam os arranjos nos templos e altares.

Desses hábitos, surgiu a arte da ikebana. ‘‘Vem da tradição de oferecer, de ofertar, de agradecer. Além disso, aumenta a sensibilidade estética e harmoniza o ambiente’’,
Normalmente, as ikebanas não são vendidas, apenas presenteadas. Isso porque a pessoa que prepara o arranjo coloca nele todos os seus sentimentos. ‘‘A ikebana é uma maneira de agradecer e levar a expressão dos sentimentos para quem é presenteado’’ Os arranjos são leves sutis, geralmente com uma espécie de flor ou duas uma rama e uma ou duas folhas. como sempre o menos é mais, questão que abrange a consciência.
Margarida minha linda, ontem te enviei um email.
beijokas

cantinho she disse...

Que barato de post, adoro culturas diferentes e suas sabedorias, show de bola!
Beijo, beijo!
She

cantinho she disse...

Ahhhhh fora que eu achei a flor maravilhosa de linda...bjks!

Fernanda disse...

Dear Daizy!

Olá amiga, boa noite!
Amei ler este teu texto e digo-te já, eu adoro flores ...no jardim!
Este arranho que mostras é divino, lindo de morrer na sua simplicidade.

Como eu concordo com tudo o que aqui nos dizes.
Como desperdiçamos e matamos flores para nada, por pura exibição, até arrepia.
Como dizes, é impossível apreciar a beleza de uma flor no meio de dúzias, centenas delas, a não ser num belo e extenso campo, quando todas elas formam um tapete de tal beleza que nos faz o coração saltar de alegria pela dádiva.

Kisses and hugs.
Bye now,
Love

Na casa do Rau

Bah disse...

Nossa, que flor mais linda é essa....

Kisu!

Michelle Lynn disse...

Olá Margarida!
Quanta saudades... nem imaginas...

Como poderia ficar sem passar por aqui?!! Sem aprender mais um pouquinho?!!

Vc tem toda razão em apreciar a cultura oriental... temos tanto para aprender com eles...

Bjoss grandess

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger