sexta-feira, 19 de março de 2010

O Samurai e a Cerejeira

ONCE UPON A TIME... havia um Samurai que tinha no seu jardim uma muito venerada cerejeira. Em criança tinha-se pendurado nos seus ramos e brincado sob a sua sombra, e o mesmo tinham feito os seus antepassados. E durante mais de cem anos todos se tinham maravilhado com as suas flores e escrito poemas em sua homenagem.

O Samurai envelheceu e ficou sózinho, e a cerejeira era o seu bem mais querido. Acontece que num certo Verão, a árvore começou a secar e morreu. Vendo o seu imenso desgosto, os vizinhos plantaram-lhe no jardim, uma nova e bonita cerejeira, que ele agradeceu, fingindo alegrar-se, mas não pensando noutra coisa senão na antiga e amada árvore.

No décimo sexto dia do primeiro mês, de acordo com o calendário lunar, ainda no Inverno, o Samurai dirigiu-se ao jardim e inclinando-se perante a velha cerejeira, disse-lhe:"Por favor, peço-te que floresças novamente, ou sou eu que vou morrer na tua vez!"

E calmamente o velho Samurai, estendeu um pano branco debaixo da sua cerejeira e cometeu seppuku. E acredita-se que o seu espírito teria penetrado a árvore, que naquela mesma hora começou a florir.

"And every year it still blooms, on the sixteen day of the first month, in the season of snow."

Fonte: Kwaidan: Stories and Studies of Strange Things, Lafcadio Hearn

Fotos via Flickr.

0 comentários:

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger