terça-feira, 12 de abril de 2011

MEIAS PARA O JAPÃO

Há momentos em que até os mais pequenos gestos adquirem relevo.
Jason Kelly, um Americano residente no Japão, pensando nos milhares de pessoas cujos abrigos são a única casa depois do tsunami, e depois de ter observado que muitos estavam descalços ou com as meias em mau estado, resolveu criar um site: SOCKS FOR JAPAN (Meias Para o Japão).
O conceito é simples, ele pede ás pessoas que lhe enviem meias, novas, de todos os tamanhos, que ele e a sua equipa distribuem pelos abrigos instalados nas zonas afectadas. Kelly solicita ainda que juntem uma cartinha carinhosa, que, no caso de ser necessário, será devidamente traduzida em Japonês.
Até ao dia 7 de Abril, Jason Kelly e a sua equipa, entregaram 18. 274 pares. E muitas mensagens carinhosas.
Ás vezes, são mesmo as pequenas coisas que contam.

44 comentários:

M. disse...

Não me digas que mesmo sendo louvável...Não deixa de ser estranho...

O Japão não tem meias nem meios para ajudar os seus cidadãos???


Algo me soa mal. Ainda vou descobrir o que é!!

lolipop disse...

M
Se os terramotos não são uma surpresa no Japão, um tsunami não é coisa que se possa prever, nem para a qual se possa estar preparado. Imagino que entendas isso. Calculo que entendas também, que muita gente perdeu tudo o que tinha, que grande parte das vias de comunicação nas zonas afectadas ficaram destruídas, que logo a seguir se viram a braços com o problema da central nuclear.
Acredita, estão a fazer o que podem.

És uma rapariga esperta, não preciso de te lembrar o significado da palavra solidariedade...

Wanderley Elian Lima disse...

Não importa se no Japão tem meias para todos, o importante e esse grande gesto de amor e solidariedade. Comovente.
Bjux

Astrid Annabelle disse...

Loli,
eu achei a idéia de um carinho imenso!
Ter meias novas representa ter aconchego. Sentir o pisar gostoso num chão tão sofrido.
Fiquei emocionada! Sinceramente.
Beijos ternurentos
Astrid Annabelle

Flaviane Koti disse...

Lembro-me de uma reportagem feita na semana do terremoto onde brasileiros residentes em outras regiões do Japão se uniram e levaram generos de primeira necessidade. Muitos acharam que era loucura, besteira já que o Japão é um país "rico", mas mesmo assim eles foram e como foi bem vinda a pequena e singela ajuda. O qto acalentou aqueles corações.
Parabenizo a inciativa do menino, pois teve coragem de fazer algo concreto. Um pé quentinho aquece o coração, dá vida.
Solidariedade!!!
Bjs Loly.

papoila disse...

O gesto é tudo e muito comovente!
Fico com vontade de lhes mandar as meias e o cartão e fico sempre com pena de não ter sido eu uma pessoa com ideias maravilhosas como essa!!!!
bjs

Georgia disse...

Nossa Loli que lindo amiga!
Se todos tivessem só um pouquinho dessa solidariedade...um gesto de amor como esse numa horas dessa é tudo que eles tem.

Bjus!!

M. disse...

Claro que apoio qualquer tipo de solidariedade para qualquer pais...

Mas estamos a falar da segunda economia do mundo!!!!!

Apenas tinha a ideia do que a resposta seria mais eficaz. Não digo que seria fácil...

É uma sensação. E não gosto:(

lolipop disse...

M

Infelizmente o lugar de segunda maior economia do mundo passou a ser ocupado pela China...

lolipop disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
William Garibaldi disse...

Meias significa conforto acolhimento!
Aconchego... talvez isto seja o maior carinho que já fizeram.. que idéia boa e de egrégora super curativa!

Meias para o japão ! Vou divulgar isso!

Grato!

Ângela disse...

Minha Flor predileta.

Com certeza o mais importante é que sejamos solidários, de qualquer forma, por qualquer meio. Ter os pés quentinhos é tão confortável, não é mesmo???, e um par de meias não custa assim tão caro. Bela iniciativa teve esse garoto.

Nikita Roraima disse...

É amiga, a palavra solidariedade ainda soa mal pra algumas pessoas. Mas isso é sinônimo de amor ao próximo. E qd Deus disse amai ao próximo como a ti mesmo, Ele não estava brincando. Bjoss

Malu Machado disse...

Que belo gesto! Talvez seja um menino que sinta muito frios nos pés e queira aquecer os pés alheios.

Pode parecer jocoso o meu comentário, mas longe disso. O que vejo é uma delicadeza em pequenos detalhes de um menino com olhos voltados para os detalhes, coisas simples da vida, como a solidariedade.

um beijo grande,

Meri Pellens disse...

Amiga, nem precisa se desculpar por que também estou bem ausente. Estou tomando mais remédios e já fechei contatos para novas encomendas. Só ficarei a postar e comentar de vez em quando. Ainda não escrevi nada sobre isso, mas estou com o físico bem exausto, embora o espírito siga confiante.
Beijo na alma, querida Loli!

LuH disse...

Tocante!

Não falo da ação em si, mas do significado que ela carrega.Qualquer ação que carregue afeto será grande! Não precisamos remover mundos e fundos para tocar o coração das pessoas.
Se formos pensar são os pés que nos mantém em pé, são a base, nos sustentam, nos fazem caminhar...
Com vistas no capitalismo, com o aumento do individualismo, vamos esquecendo que a maior riqueza está na relação de uns com os outros. Pertencemos todos a uma mesma ilha, e mesmo lá distante, o Tsunami que atingiu tantas pessoas chega até nós das mais variadas maneiras, e nos lembramos então como somos frágeis e o quanto precisamos de amor.
Sempre tem alguém, assim como este homem, que nos faz lembrar como é ser gente, o que é ser solidário.
Meias para o Japão!

Abç quentinho, Loli!
:)

nacasadorau disse...

Sweet Loli!

Todas as acções solidárias são louváveis.TODAS!

Se alguém reparou no facto de faltarem meias a este povo que foi brutalmente martirizado, esse alguém é merecedor de todo o meu respeito e maior carinho. É destes que o mundo precisa.

Se todos nós enviássemos algo, nem que não fosse só uma carta de amor, como se vê na foto, tudo seria bem mais fácil de suportar, mesmo a nossa dor perante a impotência de o fazer de forma efectiva, pela distância física que nos separa.

Sweetie, remeber that some people just bark at the moon.

Huge Hug and a tebder kiss.

nacasadorau disse...

Tender Kiss.
Sorry my dear.

Another kiss

nadiru-san disse...

Achei a idéia simples e maravilhosa!!
Mas, o segredo de todas as coisas está na simplicidade!!

Lu disse...

OLI Margarida,como está?
que atitude mais carinhosa,que ele teve.
Carinho nunca é demais,para quem está nessa situação tão dificil.
Beijo Lu.

Beth/Lilás disse...

Loli, querida!
Eu entendi plenamente que este ato de entrega das meias é puramente um carinho, uma lembrança a eles de que o mundo se importa com o que aconteceu com eles.
E se eu puder vou participar desta sim, achei lindo este carinho.
bjs cariocas

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

Posso responder à M?

Na verdade o Japão é a terceira economia do mundo, não a segunda.

E... três províncias inteiras foram devastadas, metade do país foi atingido de alguma maneira.

Milhares de pessoas em abrigos,
casas, escolas, hospitais, tudo destruído. Acho que nem preciso falar nada sobre isso, né?

Toda ajuda é muito bem vinda.

Dinheiro que seria usado para comprar milhares de meias podem ser usados para outras finalidades mais urgentes (a reconstrução de casas e infra-estrutura). Fora que o valor da ajuda, no sentido de sentimento, é muito grande. Muito mais que qualquer dinheiro.

Não sei se vc entende o que são ondas de 25 metros de altura devastando tudo. Não é um terremoto simples, como os que acontecem sempre por aqui no Japão.

Talvez seja melhor vc se ocupar com coisas mais úteis, do que procurar pelo em ovo (como dizemos no Brasil). E respeitar mais a tragédia que abateu o país, respeitar a cultura e o modo de pensar de um povo que podem ser diferentes do seu (seu jeito de viver é regra apenas para ti).

Procure se ocupar com coisas mais úteis do que ficar instigando contra a dor de milhares, é melhor pra vc mesma.

(desculpe Margarida, mas a pobreza humana assusta mais que tsunami)

Enfim, investigue o quiser, se vc acha que alguém tá pensando em lucrar em meio à tanta desgraça, realmente é algo assustador.

Karlinha Ferreira disse...

Ja dizia Renato Russo ♫são as pequenas coisas que valem mais♫...

O Guri ta de parabéns pela iniciativa... É como dizem todo mundo pode mudar o mundo.

Beijo grande e um dia cheio de surpresas.

Anne Lieri disse...

Loli,realmente uma grande atitude!Numa hora dessas aparecem essas pessoas especiais que sentem a compulsão em fazer o bem!Um belo texto,Loli!Bjs,

Lu Souza Brito disse...

Oi Loli,

Atitudes valem mais que palavras de consternação. Muito linda a iniciativa dessa pessoa. Uma pena ter gente que nao entende um ato de solidariedade.
Beijos

Leo disse...

Aquecer de alguma forma, é importante. ainda que for que cartinha de apoio, uma meia, um abraço.

O dinheiro não importa nesse momento.

Um Beijo, Loli!!

Janita disse...

Querida Loli.
Começo por reiterar as palavras do Alexandre. " A pobreza humana é mais assustadora do que qualquer tsunami!"

Achei comovente essa iniciativa. Qualquer atitude de solidariedade para com aqueles que, seja qual for o motivo, são vítimas de uma tragédia, é de louvar e seguir.

A pessoa que receber um par de meias, sente que alguém pensou nela e junto recebe um pouco do seu carinho e apoio.
Isso é muito reconfortante.
Bem-haja por trazer até nós, estes grandes gestos de amor ao próximo.
Abraço-a com ternura.
Janita

Tabeteimasu - Denise disse...

Oi minha queridíssima!!!

Que gesto mais singelo e lindo...são nas pequenas coisas que marcam para sempre na memória... adorei!

Muitos beijos para ti flor!

M. disse...

Não ia responder mas...

A China não é a segunda economia do mundo. Em rigor a segunda economia é a União Europeia. Mais a China é a segunda economia APENAS em alguns indicadores. Nomeadamente nos índices de produção e crescimento. Mas a economia de um país não se mede apenas por esses indicadores.


Economia é o "modo de viver" E aí a china está bem longe do segundo lugar.

Essa é a parte "económica". Por acaso também minha área profissional...





Em resposta ao Alexandre Mauj Imamura Gonzalez:



Uma coisa concordo contigo: não gosto de estupidez!! Nem de quem não sabe ler! Nem de virgens ofendidas! Nem de altruísmo declarados (ainda menos escritos).

Não me ofende quem quer mas quem eu deixo!!

Não me conheces de nenhum lado e tens o pedantismo de me julgar. Não irei fazer o mesmo. Nem te pedir desculpas. Porque tenho mais que fazer e porque há pessoas que não valem a pena. Não pelo seu valor. Porque não merecem!!!


Saudações.

M. disse...

Margarida:

Estive a reler os meus 2 comentário e, sinceramente, não percebo os pruridos.

Não vou mais falar em solidariedade porque não é uma coisa de que se fala. A solidariedade faz-se. Quem grita em nome dela apenas quer chamar a atenção sobre quem grita...Não te iludas!

A iniciativa que referes é louvável. Nunca disse o contrário. E não permito que leiam o que eu não escrevi. Nem façam deduções armados e armadas em Madre Teresa de Calcutá (outra que apelava a solidariedade e no entanto era uma pequena tirana...Virou santa...)

A sensação desagradável que me fica é que estaria a espera de uma outra reacção do Estado japonês. Que fosse mais célere, menos hesitante e mais capaz.

A única coisa que aceito que me acusem é que eu tinha uma ideia errada sobre o Japão e a sua capacidade de resposta.


Lamento qualquer mal entendido, por ti. Mas não podia deixar de me explicar. Nada de honras ofendidas ou tretas dessas.

Uns não gostam de pobreza humana, eu não gosto da estupidez humana...
Pelo menos apraz-me saber que a pobreza tem solução...

diariodumapsi disse...

Ei Loly!
Achei bem simbólica e de extrema sensibilidade de quem tem teve essa idéia de enviar meias e cartinhas, meias que aquecem fisicamente o corpo e cartinhas que aquecem o coração. É nessa hora que os maiores laços de solidariedade se estabelecem.
Parabéns pelo post!
gd beijo

Alexandre Mauj Imamura (lostinjapan.tk) disse...

como eu disse, tb não gosto de estupidez humana. ainda mais em casos tão graves como o ocorrido aqui, que gente de fora, sem saber o que se passa, fica buscando "causas" para apagar seu tédio afff.

Lívia Azzi disse...

Sim Loli, dos pequenos gestos podem surgir grandes ações: carinho e calor num momento de dor transmitem força e amor!

Solidariedade não é coisa para ser mensurada, e sim transmitida! Sensibilizar-se e poder tocar e confortar o outro independente de quaisquer variáveis e indicadores.

Polish Twins disse...

Welcome to everything is very nice;)Greetings and kisses are sent; **

I Love Ski Jumping disse...

How cute blog;))Very nice pics and everything is just beautiful!Greet Polish and kisses; **

Bombom disse...

Um país que sofre uma catástrofe desta dimensão, não consegue reerguer-se em 30 dias, nem em 30 semanas, nem num ano, por muito estruturado que seja. Quem nunca passou por uma tal situação não pode imaginar o que isso significa nem o que isso implica...Para nós, e falo por mim, é tão longínquo que até parece um filme...Mas quando oiço os números da tragédia, o dos mortos, o dos desaparecidos, o dos órfãos que ficaram sozinhos, o dos que ficaram sem nada, sem haveres, sem trabalho, sem dinheiro, sem casa sem amanhã...
Então surgem os pequenos gestos das crianças ou dos que têm um coração de menino. Como nós todos devíamos aprender com as crianças! Por que não enviar meias aos que as não têm? Ou brinquedos aos meninos que ficaram sem nada? Ou tintas e papel para desenhar? Claro que é pouco, é uma gota de água. Mas se arrancar um sorriso de alguém, já valeu a pena.
Um abraço da Bombom

Carla Nunes disse...

Oi Loli! Eu tava com saudade daqui! ;)
Que menininho mais fofo e generoso! São as pequenas coisa que fazem mesmo a diferença!!

:*

BIA disse...

Oi Loli!!!

Nobre atitude, sempre digo que uma pessoa se revela não por suas palavras mas por suas atitudes. Uma meia quentinha no frio é tudo de bom!!!
Tenha um ótimo fim de semana!!!
Beijos
Bia

Bia Jubiart disse...

Oi Flor!!!

Tarde mais chegando aqui, e sempre me surpreendendo ...
Gostei muito da explicação didática do nosso amigo Ale... Conhece aquele adágio popular "Há algo de podre no reino da Dinamarca" "Há algo de podre na cabeça de algumas pessoas..."

Independente da meias (que não deixam de ter importância), a preocupação e o afeto que chegam através destas aquece um pouco os corações daqueles que perderam filhos (que poderiam estarem tendo a mesma atitude), pais, mães, amigos etc. Dinheiro, status dentro de uma economia de mercado não é tudo, o ser humano ainda é solidário com a dor, com a emoção, e vamos ser solidários também na alegria de ver um Japão com um sol que nunca se põe.

Sabe Flor, por sua causa e do Ale (é bom por a culpa nos outros rsrs), vou conhecer não o Japão mas o povo Japoneses, são muitos especiais, é um sonho a realizar...

Durma com os anjos...

Beijos e carinhosssssssssss

Bia Jubiart disse...

Ah! Já esquecendo...

Respondi sua pergunta lános comentários.

Beijão.

Lililooks disse...

Amiga querida margarida, näo me esqueço de ti, por mais que passei por verdadeiros terremotos na minha vida, estou aqui consegui me salvar e estou viva agora feliz por estar aqui escrevendo te eres muito especial para mim te tenho muito carinho, muito linda iniciativa das meias né? näo importa o tamanho da ajuda o importante e fazer algo o minimo as vezes significa muito e pode ser muito imoportante pra muita gente, estou muito triste com as catastrofes da natureza e estive muito abalada com tudo que passou na minha vida foi um verdadeiro tsumani mais passou bola pra frente como diz um grande amigo força na piruca que a vida segue, um bjo grande amei vir aqui ver tantos carinho e tantas novidades bjos mil amote margarida linda mil flores para este lindo sabado de primavera!

EdeA by Ester disse...

O gesto foi o que contou nessa iniciativa... ainda bem que tem gente que usa a mente pra tal. Criativo e util!!!
beijos e continue assim, vc diz coisas certas na hora certa!

Fabiano Mayrink disse...

Acho linda esta frase, "Ás vezes, são mesmo as pequenas coisas que contam" !

Vanessa Souza Moraes disse...

O pequeno muda, não o grandioso - penso eu.

http://vemcaluisa.blogspot.com

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger