segunda-feira, 29 de novembro de 2010

MORTE À PENA DE MORTE

Amanhã, dia 30 de Novembro, diversas cidades Portuguesas vão juntar-se num gesto simbólico contra a pena capital em todo o mundo, iluminando com velas um monumento local. Este evento integra-se na Campanha da Amnistia Internacional intitulada "Morte à Pena de Morte" (vídeo da campanha no YouTube aqui).
 Ainda há pouco nos unimos á volta do caso Sakineh, mas não podemos esquecer que a pena de morte ainda é figura penal em 58 países, entre os quais o Japão.
Em Portugal, foi felizmente abolida há 134 anos, e li hoje as palavras de Vitor Hugo felicitando Portugal em 1876, que me pareceram mais actuais do que nunca:
"A Europa imitará Portugal. Morte à morte! Guerra à guerra! Viva a vida! Ódio ao ódio. A liberdade é uma cidade imensa da qual somos todos concidadãos."

21 comentários:

Rogério Pereira disse...

Não sei, cara amiga
se Vitor Hugo hoje falaria assim. No seu humanismo, ele seria inibido de o fazer
porque não deixaria
de reconhecer
que esta agonia
também é uma forma de morrer...
(não será execução
esta forma de tirar o pão?)

Maria Helena disse...

Queridíssima, Amo o seu olhar sobre todas as coisas. Amo o seu jeito generoso de perceber a vida. Amo o seu brado contra o que não traz a paz! Sou sua admiradora!
Você é especialíssima!
O mundo é melhor com a sua presença. Bjs

Betty Gaeta disse...

Oi Margarida,
Que frase linda esta do Victor Hugo. Eu não conhecia.
Acho um absurdo a pena de morte, pois ela iguala o executor (estado) ao criminoso.
Bjkas e uma semana maravilhosa para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Beatriz - Jubiart disse...

Oi amiga Flor...

Em apoio a causa acenderei uma vela simbólica, amanhã em minha casa.
A vida é um direito eterno, e que ninguém tenha a ilusão de tira-la.

Beijo neste coração sensível.

Irene Moreira disse...

Loli
Sou contra a pena de morte e estou preprando o post sobre esse tema. O querer fazer justiça “olho por olho” , “dente por dente” parece um argumento primitivo demais para justificar uma medida drástica como a pena de morte, e passível de ser usado em situações de justiçamento com as quais não concordo.

Beijos

Wanderley Elian Lima disse...

Ninguém tem o direito de tirar a vida do outro, não se pune um crime, cometendo outro.
Bjux

Nilce disse...

Oi minha querida.
Sou contra a pena de morte. Estou com o Wanderley.

Bjs no coração!

Nilce

diariodumapsi disse...

Vamos nós fazermos coro com essas vozes: Morte à morte!
gd beijo

orvalho do ceu disse...

Olá, querida
Graças a Deus toda a humanidade vai revendo conceitos... um dia chegaremos todos ao perdão coletivo...
Abraços fraternos e bjs de paz.

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

aqui a pena de morte gera muita polêmica. uma pesquisa indica que mais de 80% da população é contra.
Mas qdo aparece um crime mto grave, muita gente pede a pena capital.

eu tb sou contra. ué, se condena-se alguém por matar outra pessoa, como pode ser o estado um matador?

pena perpétua sim, pena de morte nunca.

Betty Gaeta disse...

Oi Margarida,
Me desculpe! Não tinha mesmo visto as fotos do post anterior. Agora vi e amei. Amei os lugares e amei ver vc. Vc é invejavelmente magra. Eu era assim até o ano passado! Agora engordei 7 kg em um ano e não estou arrumando maneira de me livrar deles!
Bjkas e uma ótima 3ª-feira para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

MANUPINK disse...

OI MIGA LINDA!!!! A PENA DE MORTE NÃO DÁ RESULTADO NENHUM PARA O SER HUMANO.

BJOKITAS!!!!

Fernanda disse...

Querida Loli! Sweet friend!

Se Victor Hugo fosse vivo hoje diria exactamente o mesmo.
Há poucos aspectos que façam de mim, cidadã portuguesa, ter orgulho nesta nossa pátria, mas se há algumas, esta é seguramente uma delas.

Só aceito a eutanásia quando e se for tomada pelo próprio de forma consciente e em pleno uso dos seus poderes psicológicos.

Estou contigo contra qualquer "lei" que leve alguém a condenar outra à morte.

Beijos

ManDrag disse...

Salve! Lolli

Vi o vídeo (já conhecia o drama da vida do Sandro e já estive na Candelária, junto à cruz que assinala o triste massacre de crianças cujo crime que cometeram foi nascerem pobres numa sociedade perversa e cruel. Li os comentários ao vídeo (uma realidade chocante que justifica a minha afirmação no parêntese anterior e com que aqui, no Brasil, me deparo quotidianamente). Chocantes de intolerância e desamor.
Longa é a caminhada! E mais longa ainda quando o povo não quer caminhar.
Mas a esperança não morre!

Abraços

ONG ALERTA disse...

Cda cultura com sua loucura...
Beijo Lisette.

A Flor do Sul - Perah Hadarom disse...

Bem haja.

O vídeo está a baixar, e com a lentidão de minha conexão à Internet, ainda levará alguns minutos até que eu possa visualizá-lo completamente. Enquanto isso, deixo registada a minha opinião aqui no teu blogue.

Não considero justo retirar a vida de um ser humano, pois matar é por natureza um ato de desumanidade. Embora muitos não estejam connosco, pelo menos o mundo vem mudando conforme o tempo, e isso é uma razão para termos esperanças. Sou favorável à pena de morte em apenas um caso: crimes contra a humanidade (se Hitler tivesse ficado vivo, por exemplo, na minha opinião seria justo puní-lo com a pena capital, em virtude da magnitude de seus crimes). Porém, esta é apenas a minha opinião, e respeito a de quem pensar de outra forma. O importante é deixar claro que não acho justo matar por qualquer coisa.

Eu já tinha conhecimento do fato que em algumas iniciativas Portugal foi pioneiro no mundo. Portugal foi um dos primeiros países a descriminalizar a homossexualidade, ainda em 1882, sabias disso? Pois é, é digno de respeito um país que tem mais de 130 anos de história na questão da anulação da pena de morte. Tenho esse país em elevado conceito. Ah, se eu morasse em Portugal, estaria nas manifestações com toda a certeza.

Espero que chegue um dia em que os direitos humanos sejam vistos como uma necessidade humana, o que na verdade sempre foram.

Óptimo texto. Até mais ver.
Konban-wa.

Paulo Becare Henrique disse...

A ironia maior é termos que lutar para tornar a sociedade humana mais humana...

Lívia Azzi disse...

Oi Loli!

Assisti ao vídeo:

"Na vida muitos tem o poder de escolha, mas poucos tem oportunidade"

Lembrei de Nietzsche: "Não existem fatos, apenas interpretações"

Não é a pena de morte que irá resolver o problema da marginalidade.

Um beijo!

Fernanda disse...

Querida Loli!
Sweet friend!

Hoje, mais do que nunca, não poderia deixar de voltar a este tema.
Amanhã pode ser enforcada mais uma Iraniana, como sabes, logo bem de manhã...
O que mais dói é saber que todo o mundo teve conhecimento e não foi capaz de impedir que isto venha a acontecer.
Não acredito que cheguemos a tempo, oxalá esteja enganada.

Que todos os dias de comentem actos de atrocidade total contra o ser humano, nós sabemos ser um facto real, mas não os conhecendo efectivamente torna-nos menos cúmplices.

Li o comentário do amigo que defende a pena de morte em casos muito especiais.
É verdade que dá muita vontade de tirar a vida a alguém que comete verdadeiros horrores, seja ele um Hitler ou meramente alguém que violou uma só criança, um menor...
Todos esses "seres" execráveis merecem um castigo exemplar. Todos sem excepção, mas matar não, até porque é pouco, nestes casos seria bom demais para eles.

Curiosamente ou não, é tido como crime o suicídio e não a pena de morte.
Acho tudo isto um absurdo tremendo.

Beijinhos

Anne Lieri disse...

A paz ainda é a melhor maneira de resolver os conflitos.Ninguem tem o direito de tirar a vida de qualquer pessoa.Linda msg!Bjs,

Talles Azigon disse...

minha amada margarida ao assasinato de pessoas e a violência combatemos com o amor e com a paz
me junto com você para dizer não a pena de morte, é um vergonha que ainda tenhamos em um continente como a europa que se diz tão desenvolvida, manifestação de total desrespeito ao ser humano como a pena de morte

aqui nas américas muitos estão condenados a pena de vida e isso já é uma pena enorme, pode ter certeza

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger