quarta-feira, 24 de novembro de 2010

AOKIGAHARA - A FLORESTA DOS SUICÍDIOS

Imagine-se uma floresta densa e cerrada aos pés do sagrado Monte Fuji. Cerca de 3000 hectares dum "Mar de Árvores", em que a luz e o calor dificilmente penetram. Pinheiros e carvalhos com raízes enterradas num solo escuro e vulcânico, trilhos em que o gelo nunca derrete. Basta caminhar um pouco para deixar de ouvir qualquer som exterior. Uma paisagem belíssima mas algo fantasmagórica, mais consonante com uma sequência onírica num filme de Akira Kurosawa, do que com a própria realidade.
"O lugar perfeito para morrer"- foi assim que AOKIGAHARA foi descrita por WATARU TSURUMI. O  best-seller "Manual Completo do Suicídio", inclui mapas do local e até a indicação dos melhores hóteis para passar a última e derradeira noite. Mas, não terá sido o único escritor a referir o "Mar de Árvores" como destino dum passeio final. SEICHO MATSUMOTO na novela KUROI JUKAI (Mar Negro de Árvores), contribuiu para a popularidade da chamada "Floresta dos Suicídios".
Os espiritualistas japoneses acreditam que as almas sem repouso dos suicidas (yurei) penetraram as árvores da floresta, gerando uma actividade paranormal, que impede os que entram de voltarem a sair das suas profundezas. Há mitos associados ao não funcionamento das bússolas, tornadas inúteis pelos enormes depósitos de ferro no solo vulcânico.
Devido à vastidão da área, é pouco provável que visitantes desesperados encontrem alguém uma vez embrenhados no seu interior, por isso, a polícia espalhou tabuletas com frases que pretendem ser desencorajantes, como "Espere! Pense novamente. Você só tem uma vida. Valorize-a!" ou "Por favor reconsidere!".
 Mas, para os que já fizeram a sua escolha, talvez sejam as palavras de Tsurumi a prevalecer: "Se estiver cansado do seu trabalho e relacionamentos, e se quer cometer suicídio sem que alguém alguma vez descubra, sem hesitação eu recomendo-lhe que avance no interior do Jukai. O seu corpo não será encontrado. Você passará a ser uma pessoa desaparecida, e lentamente desaparecerá da memória de todos."
AOKIGAHARA, detém a desafortunada distinção do segundo lugar do mundo mais procurado para pôr termo à vida, sendo o primeiro ocupado pela Golden Bridge em San Francisco.
O suicídio no Japão encontra raízes arquétipas no código de honra dos samurais, o Bushido, e é visto muitas vezes com uma aura romântica.
No Ocidente, os suicidas são encarados com desagrado e constrangimento, fruto da herança judaico-cristã que considera a vida uma dádiva divina.  Longe de mim fazer aqui uma apologia do suicidio. Mas, a primeira vez que li alguma coisa sobre Aokigahara, pensei que o desespero, a angústia, a dor, a perda, a solidão profunda, são sentimentos humanos...demasiado humanos. Nesta vida, somos todos pequenas embarcações que nem sempre navegam em águas calmas, umas mais frágeis do que outras. Como nos naufrágios, há os que se agarram a bóias, tábuas...e são salvos por elas...ideais, amor, fé, pílulas...Há outros que desistem, tomados pelo cansaço de lutar, pelo desejo de ir ao fundo. Por vezes, os que desistem, podem estar muito perto de nós. Um amigo, um conhecido, um vizinho, alguém com quem nos costumamos cruzar...quem sabe um "blogger" que costumamos visitar...
Estamos próximos do Natal, época por excelência da família, da solidariedade, mas também para muitos uma época de solidão. Mais do que pensar nos que desistem, importa pensar se desistimos de alguém, se no atropelo do dia a dia, deixamos de ler nos olhos ou na voz dos que nos estão mais próximos, um pedido de socorro, uma mensagem...

54 comentários:

Marieke disse...

olá lindinha
perdi o teu tlm
a anabelaesta a organizar umjantar comas 6 estarolas...para 8 de dezembro.....liga-me ou à anabela que tb não tem o teu contacto...
jokas

Mai disse...

Loli,
esta é uma questão sensível, um tema que a mim inquieta (tenho lidado com muitos casos de escapismo).
Passear nesta floresta através do teu texto é quase se transportar para aquele silêncio do qual não se consegue voltar.
abraços

Lupo disse...

Maravilhosa a informação e adorei o seu pensamento sobre o assunto.

Penso que devemos estar com o coração aberto 24 horas por dia para percebermos tais pedido de ajuda, ou mesmo o grande amor passeando na calçada ao lado, ou qualquer outra coisa... É o cuidado para não perder o segundo que mil anos não seriam suficientes para recuperá-lo.

Tenho base católica e essência espírita. Ocidentais como são, condenam o suicídio de uma forma ou de outra. Por outro lado, tendo em vista o amor maior, é muito melhor trocar o assassinato de outro conta nós pelo suicídio imediato.

Sem apologia, claro... Mas fiquemos atentos.

Bjo grande Lolipop. Ótimo post.

Carla Farinazzi disse...

Lolipop,

Um texto que fala de morte, e ao mesmo tempo e sobretudo, de vida! Achei fantástico isso que você escreveu. Com uma maturidade gigante, porque dá o que pensar e faz pensar. Quantos não chegam diante de nós, não digo com apelo para não suicidar-se, mas com um apelo para um mínimo carinho, uma palavra, um gesto, um olhar que minimize a dor, que refaça a vida, que faça nascer a esperança novamente. Isso é tão pouco, e ao mesmo tempo é tão TUDO.
Essas pequenas coisas do dia a dia, embora atribulado, constituem a diferença entre o viver e o sobreviver.

Beijos

Carla

Desabafando disse...

Gostei mto da mensagem final do seu post mas achei triste que as pessoas procurem esse lugar para isso.

nadiru-san disse...

Quando eu soube do uso da Floresta para este fim,fiquei indignada mas ao ver as imagens dos corpos dos suicidas encontrados na floresta,senti muita pena...é muito triste...

Irene Moreira disse...

Loli
Que lugar e quanta culjura e tradição. Imagino que haja muitas coisas que posssam levar alçguém ao suicídio.

Falando em suicídio você vai gostar de ler o meu Conto de Fadas que está na postagem de hoje e gostaria muito de contar com o seu apoio.

Beijos e uma linda nloite

Alexandre Mauj Imamura Gonzalez disse...

eu estava pensando nesse tema, nos ultimos dois posts. pq falei da Yayoi Kusama, vc a conhece, ne Margarida... e a arte a salvou do suicídio.

muitos se perguntam se coisas assim não teriam um efeito para diminuir as taxas de suicídio. Japoneses, com seu perfeccionismo, acham que a vida deve ser recomeçada (já que acreditam em reencarnação) qdo as coisas estão ruins, do que simplesmente ir levando a vida, como vc citou bem no seu texto.

achei linda sua mensagem final, muito importante refletirmos sobre ela.

(eu já fui em Aokigahara, queria saber como era, veja só. Não vi nenhum morto lá, mas vi mtas placas e monges orando, acho que para ajudar os que se foram em situações tão ruins. Outro lugar de suicídios aqui são as cataratas Kegon, em Tochigi...)

bjs Margarida! bom dia pra vc

Mayra Di Manno disse...

Lolipop,
Fantástica a mensagem!
As vezes o dia a dia das pessoas é tão dificil, são tantas as decepções e desesperanças que alguns desistem, outros apenas ameaçam a desistir, mas continuam...
O espiritismo, fala exatamente de um lugar igual a esse que descreveu...
Gostei muito, fez-me refletir bastante... Descobri essa semana que eu tenho TPM. E foi um alivio para mim... Porque vinha com alguns pensamentos horriveis de vez enquando... Percebi, que esses pensamentos vêem,uma vez por mês, rsss, ainda bem! tem tratamento!
Um beijo,

Glorinha L de Lion disse...

Loli, minha doce e amada Margarida. Vir aqui é sempre uma surpresa, uma fuga ao óbvio, um bálsamo para a minha alma perturbada de artista...nunca pensei em me matar, acho inclusive um ato extremo e de imensa coragem ,mas tenho um pacto com a vida e procuro compreender quem o faz. Mas vc, ao trazer o tema Morte, Suicídio, falou tb da vida e do amor solidário pelos que podem estar tão sozinhos que talvez até pensem na morte como solução. Mais uma vez demonstra sua imensa generosidade e a grandeza dessa alma de flor. Te adoro, sabias? Grande, enorme beijo...e minha profunda ternura por ti.

Nilce disse...

Eu li tudo, mas não quero comentar.
Quero apenas te deixar um beijo e muito obrigada por tudo.

Bjs no coração!

Nilce

Chica disse...

Puxa que interessante e triste ao mesmo tempo. Pena isso e ainda mais por estragarem o astral da floresta!

Nunca me embrenharia num trilha dessas por mais linda que fosse. beijos,lindo dia!chica

Fernanda disse...

y dearest and sweetest friend! Loli!

Mais um texto daqueles a que daria nota 20.
Perfeito!
Mágico e magistralmente escrito.
A imagem da floresta é soberba e a ideia de que quem aí entra nunca mais volta, mesmo sendo "horrenda" tem algo de mítico e isso atrai-me.
Tendo em conta que na civilização ocidental a morte é vista de uma forma totalmente diversa da nossa, eu consigo facilmente entender que quem deseje morrer o faça.
Aliás, eu defendo a eutanásia.
Aqui ouvem-se coisas que nem ao diabo lembra.
Quem tenta o suicídio e falha será julgado e corre sérios riscos de enfrentar a cadeia, sabias?
Quem poem termo à vida, é chorado e velado eternamente pela família, porque segundo os mais catálicos, a sua alma não será aceite em lugar algum. Não terá mais paz!
Esta é demais!

Que me corrijam os que sabem mais do que eu.
Eu sei o que leio e oiço, mas como não sou praticante posso estar errada. Oxalá esteja!

Querida amiga, o espírito do Natal, o puro espírito eu adoro.
Deves ter tido a prova disso hoje ou talvez só amahã.

Para mim o natal é mesmo todos os dias...
e...
há alguém que contigo vou partilhar, a quem vamos ajudar.
Eu já comecei, ambas ou ainda mais, faremos o milagre!
Tenho a certeza.

Beijos

Flaviane Koti disse...

Covardia, desespero, tristeza, é difícil classificar, opinar, já que cada povo tem suas crenças, mas de qualquer forma é algo triste.
Parabéns pela narrativa, como sempre, impecável.
Bjs

Maria Helena disse...

Minha amiga, que mensagem maravilhosa! Já recebi um grande presente de Natal. Olhar para os lados e dar a mão a alguém prestes a sucumbir é o melhor remédio para as nossas própria mazelas.
Às vezes olhamos demasiadamente para nós mesmos e perdemos o encanto que é a generosidade.
Obrigada pela linda mensagem!
Amei também conhecer algo sobre AOKIGAHARA.
Beijos!

Denise disse...

Olá minha querida,

Por coincidência vi estas matérias semana passada e me deixou intrigada...

Vi também um video baseado no filme The Bridge e fiquei triste, de verdade.

Isso ficou na minha cabeça e relembrei de conhecidos que tomaram essa decisão.

Me fez questionar e valorizar ainda mais a vida, que é o maior presente de Deus.

Bjinhos carinhosos

Talles Azigon disse...

OI minha Flor
que Floresta linda
olha
eu cito Bandeira:
"Não irei me matar meus amigos,
não irei,
mas que tenho vontade tenho"

eu fiquei curioso a respeito do livro citado, ele é comercializado livremente?
o autor cometeu suicido?

ah amor eu fico observando que o apego as dores e o apego a matéria é um ponto culminate nesse tipo de morte

mas como você disse longe fazer julgamentos

abrçaos

queria que uma floresta linda dessas fosse conhecida como floresta da poesia, não do suícidio

disse...

Esgotadas todas as possibilidades, ainda assim vida!!! Bjos no seu coração minha amiga.

Vitor Chuva disse...

Olá, Margarida!

É bem vincado o contraste entre a forma como Ocidentais e Orientais encaram a vida, e sobretudo a morte, ainda que seja possível encontrar alguns pontos comuns, se recuarmos no tempo: O código de honra,e a defesa desta, por exemplo, eram até há alguns - poucos - séculos atrás conceitos não muito diferentes dos levados à prática pelos samurais.Havia quem lutasse pela defesa da honra, arriscando ser morto, e os que que a tendo perdido não encontravam outra saída condigna, que não fosse pôr fim à vida.
Coisas do passado: Os ocidentais não sentem mais a necessidade da honra defender pondo em risco a vida, e os que a ela põem fim não são normalmente vistos como heróis, ainda que muitos daqueles que "gostariam" de o fazer para isso não encontrem coragem...

Excelente tema, que daria para estarmos aqui uma semana...
Beijinhos.
Vitor

Lívia Azzi disse...

Ah Loli!!

Que saudades da blogsfera, que saudades daqui!! E a história da Ângela com a flor foi linda, o Hamilton é um amor.

Quem é que nunca, nunquinha não pensou em ir para uma floresta assim como Aokigara?!

Não seria talvez uma coerência consigo mesmo? "angústia, a dor, a perda, a solidão profunda, são sentimentos humanos...demasiado humanos" sim, sim! Ah, mas a facilidade da coisa, a escolha por findar tudo, para não precisar nunca mais ter que escolher nada (hahaha!) e essas árvores da floresta e até o não funcionamento das bússulas são mesmo convidativos!

Viver dói, é muitas vezes confuso e sem sentido...

Ainda bem que temos nossos entes queridos e sobretudo amigos e por isto gosto tanto da frase de Clarice: "A amizade é matéria de salvação"! Amor e amizade (e entendo que um faz junção com outro) é o que nos dá significado a vida e faz valer continuar e pessar bem longe de Aokigara!

Beijos!!

Saudades!

Lívia Azzi disse...

Substituir pessar por passar...

Beatriz - Jubiart disse...

Minha amiga, esta floresta é de arrepiar, e seu texto me pareceu mais real ainda. Honestamente não sabia que existia lugares para suicídio. É um bom momento para se refletir sobre, já que neste período existem muitas pessoas emocionalmente solitárias. Que o ser supremo ilumine os corações angustiados e mostre um caminho que não os leve para nenhum lugar obscuro.

Bjs.

Paulo Celso disse...

A cada vista um aprendizado, grato.

Inaie disse...

quando estive na golden bridge fiquei impressionada com as plaquinha anti suicidio. Agrande diferenca entre os dois lugares e a beleza da vista da Golden Bridge. Um enario magico, que nao "inspira" ninguem a tirar a propria vida.

a floresta, pelo que me pareceu e um tanto depressiva. imagino que as pessoas nao vao la visita-la, nao vao fazer longas caminhasdas por entre as arvores...

Ana SS disse...

Olá, Lolipop!
Que texto encantador. Assunto difícil de ser abordado, que incrivelmente, você o faz de forma suave e doce.
A vida, a morte, o começo, o fim? Não sabemos. Temos uma imensa dúvida existencial (quem garante que estou mesmo viva?) da qual nos distraímos, ao longo da vida, aprendemos a amar, ou não suportamos.
Há quem se distraia com o amor, com a tristeza, com as queixas, com as reclamações, com o trabalho, com os estudos, etc. Coisas da nossa realidade, do que está fora de nós.
Eu me distraio com as coisas de dentro. Dentro de mim e dentro dos outros. Incertezas, angústias, amores, alegrias. Aprendi, ou amo desde sempre, a dúvida existencial. Adoro dormir, adoro sonhar, adoro acordar. Adoro os prazeres da carne, e também da alma (será mesmo que são coisas dissociadas?)
Mas conheci pessoas que não puderam suportar a falta de lógica da vida, ou até mesmo, o sofrimento que se vive.
Há, no imaginário das pessoas, várias ideias sobre a morte. Aí entram os valores pessoais, as religiões... As vezes a ideia de morte vira uma fantasia de que todo o sofrimento acaba. Talvez sim. Talvez não.
Não temos garantias.
E eu acho isso lindo!

Parabéns pela destreza com o tema e com as palavras.

Um beijo.

Lililooks disse...

Gostei muito da msg fantamasgorica,rsd! Estou aqui relfetindo sobre a msg e agradecendo a Deus por nós ñ termos uma floresta assím por aqui, seguramente já estiverá passado por ela nos meus maus momentos! Afe! Olha como posso agradecer tamanho carinho? Que lindo amei o postal das blythes, maravilhoso acho que elas me persiguem as vezes, amo amo chocolates aiiiii e franceses em forma de Sardinha meu Deus maravilhoso e as sardinhas com cravinho divinamente saborosas, agora eu adepta as chás quando antes de abrir o pacote já sentia cheiro que delícia amei, amei muito muito obrigada querida Margarida uma das minhas flores preferidas, amo! Quero postar no blog tamanho carinho posso? Mil bjos!
PS: Estou trabalhando muito e com pouco tempo estas duas semanas mais sempre tiro uns minutinhos para meu cantinho.

Talles Azigon disse...

amor uma dúvida: essa foto do seu perfil é tua? quem pintou?

abraços

Ana Luisa disse...

De todo o post, destaco o final - aquela ideia de que temos e devemos olhar os outros à nossa volta! Verdadeiro e lindo, lindo!
Jinho grande.
Puka

Cammy disse...

Uau Loli!!
Que texto hein?!!
Tao interessante nao pude parar de ler!
Nunca ouvi falar nesta floresta, nem nos livros, estou mau informada...
Ate placa eles colocaram la!
Tbm a diferente forma que eh encarado o suicidio nas culturas eh muito interessante!
Seus posts sao pura cultura!
Sou muito fa~ do seu blog!!!

Loli, muito obrigada pela visita!!
Nos dias atuais onde eu comecei a postar somente de vez enquando, voce eh uma das poucos pessoas que continuam a me visitar! Obrigada!
Um grande beijo!!!!

ferreiralopes disse...

Excelente! Adoro o se blogue. Abraço.

Ângela disse...

Maragarida, querida!
primeiro quero te dar parabéns por tantos comentários, você merece o Banzai merece. Como sempre adoro ler o que vc. escreve.
As vezes por tantos problemas nossa mente perde a direção a seguir e pode ser que entre um perdido e outro, alguem chegue até Aokigahara. A sensibilidade existe, entre tantas outras coisas que são importantes para nós,mas poucas pessoas praticam...
pequenos gestos podem colocar um sorriso em outro rosto e desvia-lo dessa floresta, precisamos prestar mais atenção aos detalhes.
Vc. consegue fazer isso.

Beth/Lilás disse...

Oh, Lolipop amiga, que texto lindo, tão cheio de cuidados, de amor pelo próximo!
Nunca ouvi falar deste tal lugar no Japão e imagino que seja um pensamento muito diferente do que estamos acostumados no mundo ocidental com relação ao suicídio.
Realmente, se não tivermos um olhar maior, mais holístico à nossa volta, podemos perder a oportunidade de ajudar ou salvar alguém.
um beijo grande, carioca

BarbaRove disse...

aaaaa que legal! adorei o seu cantinho virtual! te achei na betty! bom dia pra vc!!! beijos! estoy a seguir te! passa no barbarove, acho q vai gostar!

António Rosa disse...

Olá, dona do Banzai

Por saber que frequenta o blogue «Navegante do Infinito», da Astrid Annabelle, deixo aqui este convite:

Bom dia de sábado,

Este é um convite para participar na entrevista colectiva que estou a preparar para a Astrid Annabelle, do «Navegante do Infinito». Publiquei hoje um post com esse convite.

Seria um prazer contar consigo nesta entrevista coletiva à amiga e bloguista Astrid.

Por favor, clicar aqui para aceder ao post onde peço que deixem as perguntas.

Abraço,

António
«Cova do Urso»

so sad disse...

um belo lugar para morrer sim,
mas não concebo desistir de viver...

beijo!

Talles Azigon disse...

nha você meu anjo tem direito de chegar quando quiser e na hora que quiser, pode demor um dia ou um ano
tanto faz
importante é que venha
bigado pelas palavras e pelas informações

Anne Lieri disse...

Muito triste pensar que existem pessoas que chegam a esse ponto de tirar a propria vida,por desespero,solidão...um texto sensivel e um grande alerta!Gostei muito!Bjs,

Thiago disse...

Olá Loli!

Muito legal o seu post. Adoro ler informações de coisas que existem mas para mim eram desconhecidas. Já viajei pra Alemanha e agora dei um pulo no Japão. Fascinante!
Concordo contigo quando diz que temos que ser mais sensiveis. Ser verdadeiramente bons ouvintes, não para ouvir só o que a pessoa diz, mas para ouvir exatamente aquilo que ela não diz.
Obrigado pelo carinho no Expressão da Alma, volte sempre!

Abraço,

Thiago

Betty Gaeta disse...

OI Margarida,
Já tinha lido sobre esta floresta e visto fotos bem menos idílicas do que as que vc postou.
Longe de mim julgar alguém que escolheu por fim na própria vida.
Bjkas e um ótimo final de semana para vc.

http://gostodistonew.blogspot.com/

Irene Moreira disse...

Loli
Amiga como adorei esse seu post e fiquei encantada com o comentário do amigo Alexandre. Saber que pessoas com uma total excelencia chegando ao perfeccionismo se valem de morrer do ir levando a vida.

Querida Loli (Adoro te chamar assim apesar de seu nome ser Margarida que é lindo também)

Podes comentar e votar em todos os seis finalistas. Os contos são muitos bons e cada um no seu estilo.

E que vença o melhor e o que melhores votos obtiveram.

Eu é que só posso comentar.

Obrigado e beijos no seu coração

Irene Moreira disse...

Loli

Voltei aqui pois passei no seu post de apelo para encontrar a sua amiga Ângela para ver a resposta quanta divulgação dele na Vitrine de Promoções.

Passe lá e leia e depois me confirme.

Beijos

Chica disse...

Volto pra agradecer o teu carinho por lá!beijos,chica

Michelle Lynn disse...

Sempre acreditei que o suicida era uma pessoa muito corajosa, mas sempre tentaram me provar o contrário... porém continuo acreditando nisso. Quem consegue se matar é muito mais corajoso... mais audacioso...

Vc já sabe da minha visão religiosa... e eu não acredito que quem não consegue viver nesse mundo doente vá pagar por alguma coisa... se é que há algum lugar ou coisa para pagar...

Adorei o texto!! Excelente!!

Eu estou bem moça... trabalhando muito...
E vc?!! O que tem feito?!!
Bjoss,
Mi

andreia inoue disse...

ola margarida,
eu ja passei por essa floresta,e quando estavamos no carro estavamos com medo de encontrar um suicida,fiquei morrendo de medo de encontrar algum inforcado,gracas a Deus so vi as arvores.
um beijao e fico muito feliz de sua amiga ter recebido a mensagem,e muito obrigada por entender e nao ter ficado chateada,em todo o caso,estou aqui as ordens querida,
beijaoooo.

Rogério Pereira disse...

Sou pragmático perante a morte. Quando quiser, venha (mas tem que me vir buscar). Já quanto ao desespero que leva ao suicidio, estou consigo. Uma palavra, um sorriso (mesmo avinagrado) pode fazer adiar um pensamento suicida e, talvez, fazer regostar da vida (não sei se existe tal palavra...)

Beijo e um sorriso

Meri Pellens disse...

Quando li "a polícia espalhou tabuletas", imaginei que seriam tipo de setas para reencontrar o caminho de volta. Será mesmo tão impossível sair dessa floresta com vida? Nossa, é assustador.
Beijo na alma!

Elisa no blog disse...

Todos os anos cerca de 30 mil pessoas se suicidam no Japão. Isso é muito triste. Vc disse bem as razões culturais. No Japão não existe a noção ocidental de que o suicídio seja pecado.

Vc se lembrou num comentário tempos atrás que meu filho gostou do caldo de entranhas de carneiro. Como vc tem boa memória! Fico contente que vc leia meus textos com atenção.
Elisa

Beatriz disse...

Oi Lolipop
O monte Fuji é mesmo estonteante, mas prefiro não pensar em suicídio!
Temos que entender as diferentes culturas e suas concepções sobre vida e morte. Lindo texto, que me fez pensar ainda mais na beleza da vida!
beijinhos
Bia
www.biaviagemambiental.blogspot.com

Cantinho She disse...

Passando e te lendo queridona, vou tentar assistir ao vídeo, hj, do post abaixo, tomara que eu consiga... Beijo, beijo! ;) She

Tabeteimasu disse...

Já havia ouvido falar neste local e é realmente triste saber saber que é o destino de muitas pessoas que não conseguiram superar as dificuldades e suas dores emocionais. Ainda não entendo o que move uma pessoa a fazer isso...uma atitude tão drástica...Entendo que algumas tentam pedir ajuda de alguma forma mas acabam sendo ignoradas pelas pessoas e pela sociedade. Mas outras acabam se fechando em seu mundo e não se abrem aos seu conhecidos...

Bjo e boa semana,
Carlos

Bah disse...

Essa floresta sempre me instigou, no sentido da própria curiosidade em saber. Gostei muito do seu post, super informativo e interessante. A morte é uma passagem e o suicídio é uma forma que escolhemos como atravessar com consciência (mesmo que essa atitude não seja uma das mais racionais)....

Kisu!

Anónimo disse...

Meus parabéns,vc realmente descreveu a floresta e o suícidio com inteligência , compreenção e amor.Continue assim com tanta sensibilidade,vc está ajudando a muitas pessoas.bjim. ADRIANA HORITA

Anónimo disse...

http://prixviagrageneriquefrance.net/ viagra
http://commanderviagragenerique.net/ viagra commander
http://viagracomprargenericoespana.net/ viagra precio
http://acquistareviagragenericoitalia.net/ viagra

Anónimo disse...

http://prixviagragenerique50mg.net/ acheter viagra
http://prezzoviagraitalia.net/ viagra acquistare
http://precioviagraespana.net/ viagra

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger