domingo, 11 de julho de 2010

O SOLDADO DE GUAM

A ilha de Guam, no Pacífico, era território Americano até ser ocupada pelos Japoneses, horas depois do ataque a Pearl Harbor, em Dezembro de 1941. Guam foi palco duma luta feroz, quando em 1944 os Americanos tomaram novamente posse da ilha. Os soldados Japoneses eram ensinados a preferir a morte à desonra de serem capturados vivos, por isso, um deles, vendo toda a sua unidade aniquilada, e pondo de parte a rendição, procurou refúgio na selva...durante 28 anos, sempre na esperança do regresso do Exército Japonês. SOICHI YOKOI, foi encontrado por dois residentes da ilha a 24 de Janeiro de 1972, quando tentava utilizar a sua rudimentar rede de pesca. O mais curioso é que em 1952, Soichi, encontrou panfletos e jornais em que se dizia que a guerra tinha terminado, mas, pensando que tudo não passava de propaganda Americana, permaneceu escondido. Quando regressou ao seu país, tornou-se um herói nacional, e milhares de Japoneses ladearam as ruas da sua terra natal, segurando bandeiras para o receber. As suas primeiras palavras à chegada a Tóquio foram: "It is with much embarrassement that I return."
Soichi Yokoi, casou meses depois do seu regresso, escreveu um livro sobre a sua experiência, tornou-se num comentador frequente de televisão, e ainda concorreu uma vez, embora sem sucesso, ao Parlamemto. Morreu em 1997, com 82 anos.
Durante os anos que passou na selva, alimentou-se de mangas, cocos, caranguejos, camarão, enguias, ratos, cobras, cozinhando tudo em pequenas fogueiras. A água pura era abundante no local. Tendo sido alfaiate antes da guerra, conseguiu fazer roupa, a partir da casca duma árvore, que batia até reduzir a pedaços lisos que juntava entre si com uma espécie de agulha que também fabricava ele próprio.
A sua história, foi a mais famosa, mas não foi única, em 1974, nas Filipinas, foi encontrado um outro soldado do Exército Imperial, Hiroo Onoda. Este, ao contrário de Soichi, tinha a arma ainda operacional, tendo sido acusado pela morte de algumas pessoas antes de ser localizado na selva.

NOTA: O Blogger não tem andado a bater muito bem, não sei se é só problema meu, ou se também têm dado por isso. Então, peço desculpa por  não ter deixado agradecimentos a todos os que estiveram aqui, não consegui em muitos casos publicar os comentários... mas deixei algumas palavras nos comentários do post anterior. O meu obrigada e muito carinho para vcs!

22 comentários:

romanisbetter disse...

é curioso como os japoneses eram admiravelmente patriotas antes da perda da guerra. Talvez esse patriotismo tenha se enfraquecido um pouco depois da guerra.
Parabéns pelo aniversário do blog.

"Hamilton H. Kubo - Profundo Pensar" disse...

Como disse e não canso de dizer, Banzai vem para nos engrandecer.
São histórias factiveis de como foram os ocorridos.

Margarida, é sempre muito bom te ler!!

Beijos minha linda e ainda aqui os meus parabéns!


Beijos!

Wanderley Elian Lima disse...

Oi menina
Adoro vir aqui, sempre aprendo alguma coisa nova. Mais uma vez parabéns pelo aniversário do blog.
Beijos

Bah disse...

Oi, deixa eu te perguntar, vc mora no Jp ou no Br? Já morou no Jp?

Hmmm sobre Guam... sempre quis ir pra lá pq estando no Nihon as coisas eram um pouco mais fáceis, mas agora deixo pra próxima vida rs...

Kisu!

Michelle Lynn disse...

Que história emocionante!!!
É impressionante como a vontade de viver nos faz tão forte...

Sempre bom passar por aqui!!!

Bjosss grandesss

PS.: Parabéns novamente por esse blog maravilhoso!!! Te Adoro!!!

Nilce disse...

Oi, Querida

Agora que consegui chegar aqui.
Mais uma vez, Parabéns pelo aniversário do blog.

Linda história. Vc já ouviu falar dos escravos aqui no Brasil que ficaram escondidos em quilombos por mais de 50 anos?

Fiquei impressionada de como esse japonês conseguiu viver só tanto tempo. Imagina a cabeça...

Bjs no coração!

Nilce

rouxinol de Bernardim disse...

Os japoneses cultivavam o deus imperador e tinham princípios completamente alucinados. Este homem receava ser encontrado talvez com medo que o fuzilassem por não se ter suicidado!
Os tempos mudaram e ainda bem que assim foi...
Quanto fanatismo religioso anda por aí alimentando guerras sem fim, para saciar a gula de comerciantes de armas...

Fernanda disse...

Good morning sunshine! ^_^

The sun says Hello and I feel just great...

Minha querida amiga, o que eu aprendo contigo. Amazing!
Depois tu não paras, é todos os dias um tema novo.
Só tens um Blog, era o que eu devia ter feito.
Agora não consigo apagar os outros, nem abandoná-los.
Mas, regra geral, só faço um post por semana, dando assim tempo a que todos os amigos leiam e comentem o meu sempre longo post.
Acabei de te enviar um e-mail que fala da Miss Brolly.
Vais ficar feliz, eu fiquei!

A bunch of Kisses for you!

Luis disse...

Minha Boa Amiga,
Como militar que sou estes temas são muito apreciados pois revelam dessas pessoas algo que se tem vindo a perder: a Honra, o Patriotismo, o Dever!
Como deve calcular estes homens cumpriam o seu dever como militares e as politicas que levaram o seu Governo (na altura) a declarar guerra aos EUA não foram da sua responsabilidade, a eles competia só cumprirem as ordens recebidas. E eles assim o fizeram!
Beijinhos amigos.

Betty Gaeta disse...

Oi Margarida,
Eu sabia desta história, mas muito por cima, e não sabia a continuação dela, de que ele tinha se casado e tudo o mais.
Bjkas e uma ótima semana para vc.

Denise disse...

Olá Margarida!

Que belo post, o curioso é que no Brasil tem uma história parecida, do sr.Hiroo Onoda, que também custou a acreditar que a 2ª Guerra Mundial acabou e demorou para se render 29 anos depois, mudou para o Brasil noa anos 70 e se tornou um bem sucedido fazendeiro de gado, a história completa dele segue no link abaixo:

http://www.japao100.com.br/arquivo/batalha-do-senhor-onoda/

Bjs ótima semana!

Meri Pellens disse...

Querida, que história. Parece coisa de cinema tipo "O Náufrago".

Olha, quanto aos comentários não tem jeito, é próprio do Blogger.

Beijos na alma!

Jacky Simionato disse...

eu no lugar dele, teria morrido, huahuahuahuhaua...
que loucura, né?
tomara que não estoure outra guerra.
Deus queira que não.
beejo beejo":"

lu http//:minha-distraçao.blogspot.com/ disse...

Oi LInda,
cada post seu é uma aula você escreve maravilhosamente bembb eu adoro.
Deus te abençoe sempre.
Beijo Lu

Felipe Nasca disse...

Fiquei impressionado! O cara fez roupas com casca de árvore... e sobreviveu no mato durante 28 anos. Isso é que é vontade de viver!

Fabiano Mayrink disse...

Nossa que cara em, o impressionante é ter sobrevivido anos em plena selva, habilidoso mesmo fiquei surpreso.

Deixo o meu abraço!

ps: Fiz um post hoje e falei de vc

Lu Nogfer disse...

Nossa que bela historia!Que força!
Gosto do enredo de como voce enfatisa tudo!Fico encantada com esse jeito perfeito!Parabens!

Passei hoje pelo post do niver,comentei mas reforço aqui os meus parabens!

Beijo carinhoso!

cantinho she disse...

Oie querida! Realmente o blog tem andado doido, mas foi pra todo mundo e agora ainda para algumas pessoas.
Bem qto ao seu post eu acho sempre muito interessantes essas histórias que vc coloca, beijo, beijo!
She

Ana Martins disse...

Boa noite Margarida,
realmente estava a perder um blog de qualidade dado os seus temas históricos e muito interessantes.
Eram tempos muito difíceis estes que aqui descreve e o grande patriotismo da época levava os soldados a descobrirem forças que até então desconheciam.

Beijinhos,
Ana Martins
Ave Sem Asas

diariodumapsi disse...

Oi Loly
Muito interessante essa história sobre os soldados!
Valeu o post!
gd beijo

Fernanda disse...

Hi sweet Daisy!

Hoje li o conto todinho.
Não sou muito de contos de guerra, sou mais dos de paz.

Dás aqui uma visão cabal de como se viveu a guerra na época e é sempre muito bom ler-te.
Um verdadeiro prazer.

Recebi outro e-mail da Miss Brolly, vou-to enviar.
A nossa amiga Japonesa de Tóquio, tem o Blog "adormecido".
Imagina que eu tinha lido e comentado um texto de 2007 que curiosamente falava de Gaia.
Depois verás.

Amei o teu abraço ontem deixado para mim no Rau.
Há coisas que não se explicam. Eu sinto que a minha vida mudou com a tua aparição...

Bye now!
Huge hug

Talles Azigon disse...

Gente é o Robson Crusoé!!!


e melhor é invejável eu particularmente teria morrido rapidinho a única coisa que sei fazer é uns poeminhas ^^


ninguém come e nem veste poemas ^^

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger