domingo, 6 de junho de 2010

MIYAKE, KAWAKUBO, YAMAMOTO...


"A dress is no longer a little, flat closed thing.
But begins in the open sky and mingles
with the courses of the stars,
So that she who wears it, carries the world
on her back.
The universe is at Woman´s beck and call."
Joseph Delteil, The Coming Fashion (1923)

Fazendo parte da primeira geração do pós-guerra, os designers ISSEY MIYAKE, REI KAWAKUBO (Comme des Garçons) e YOHJI YAMAMOTO, cresceram numa sociedade que abraçava a cultura popular Ocidental, ao mesmo tempo que preservava as suas tradições originais. A tensão entre estas duas identidades é explorada por todos eles em colecções que revelam influências híbridas. Em Miyake, amo a leveza, as cores únicas e a simplicidade, em Kawakubo, o wabi-sabi das formas assimétricas, quase imperfeitas, e em Yamamoto o rigor sóbrio e minimalista, sublinhado pelo negro intemporal. E claro, há uma outra característica que os três partilham com a loja Japonesa MUJI (NO BRAND) - a ausência dos arrepiantes LOGOS. Num livro de William Gibson, Pattern Recognition, a personagem principal, desenvolveu desde criança uma reacção de fobia a logos, depois dum episódio desagradável que envolvia o conhecido boneco da Michelin. Eu não vou tão longe, mas não gosto. Mesmo.
Deixo-vos imagens que fotografei do catálogo da exposição RADICAL FASHION, que pude ver em Londres (2001), no Victoria & Albert Museum.
ISSEY MIYAKE

COMME DES GARÇONS

YOHJI YAMAMOTO

9 comentários:

Bah disse...

Não entendo de moda, mas essa dai com certeza pega no Japão, em dias normais mesmo rs. Os japoneses têm um gosto duvidoso para se vestirem que lembra uma passarela de moda internacional mesmo. Aquelas roupas que todos apreciam mas não teriam coragem de usá-las no cotidiano rs

Kisu!

Nilce disse...

Oi, Margarida

Vestidos pra mim sempre foram um "must".

Adoro todo e qualquer estilo.
Por vezes tenho vontade de ter usado os de todos os sec. passados, isto é, experimentado um pouco de tudo.

Se pudesse e não me prendessem, rsrs, acho que mandaria fazer um de cada estilo, época e cultura e sairia curtindo meu visual.
Se chamaria a atenção? Com certeza. Mas viveria a experiência de tudo.

Parabéns pelo post.

Bjs no coração!

Nilce

Betty Gaeta disse...

Eu amo o minimalismo destes orientais na moda atual! A roupa da primeira foto eu usaria muito feliz.
Bjkas e uma ótima semana para vc.

Marliborges disse...

Querida, adorei seu comentário e seu poema lá no meu espaço. Não comentei ainda em seu blog, porque aqui eu quero ter mais tempo para ficar. É que sou "maniática": leio MESMO e quando comento significa que realmente li e dei toda a atenção a quem escreveu. Não comento só por comentar. Quem me conhece, já sabe. Fique certa, assim que eu puder ler "de verdade", comentarei. Me aguarde, você verá. Bjssssss e bom final de domingo.

Ester disse...

Oi Margarida,
mto bonitas as fotos!
engraçado que eles ocidentalizam as coleções, enquanto brand europeias e americanas olham a asia cada vez mais, criando peças e acessórios em japan style.
bjsss

Denise disse...

Adoro os trabalhos dos 3 estilistas, não é à tôa que faz sucesso internacionalmente. Eles agradam os ocidentais sem perder as origens, isso é tudo!

Bjs

Cammy Redling disse...

Muito louco esses modelos!!
Mas Fashion tem que ser assim, senao, nao eh fashion...!! Verdade? rs :)
Bjosss

papoila disse...

Fui visitar a Marli e ao ler o teu comentário descobri que tinhas o Bonsai e cá estou eu!
Gostei deste post, interesso-me e identifico-me com muitos dos pensamentos orientais por acho que voltarei mais vezes.
XX

papoila disse...

Obrigada pela visita e pela lembrança! Quando li o post era minha ideia ficar seguidora...mas depois passou-me.
Já está tudo resolvido e já sou fiel seguidora.
xx
Pf trata-me por tu!

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger