segunda-feira, 7 de setembro de 2009

OTAKU


Já me referi aos otakus quando falei de AKIHABARA, mas quando vi, num artigo sobre o Japão, publicado no suplemento do PÚBLICO - FUGAS - de 5/9, a palavra otaku ser traduzida secamente por fanáticos , decidi que tinha chegado o momento de escrever mais sobre o assunto. No livro " THE OTAKU ENCYCLOPEDIA - An insider's guide to the subculture of Cool Japan " de PATRICK W. GALBRAITH, a palavra aparece como o equivalente de nerd, geek , fanboy, cult fan., o que já de si suscita uma diversidade de interpretações longe do rótulo redutor de" fanáticos ". Literalmente, a palavra significa a tua casa ou tu num sentido formal. Há várias teorias que tentam explicar o porquê da sua utilização, que, nos anos 80 passou a generalizar-se para designar os entusiastas de manga, anime, jogos de vídeo e tecnologia. Lawrence Eng, o autor de " A Política do Otaku ", sugere que o termo teve origem entre os coleccionadores de anime . A palavra seria usada para indicar explicitamente uma distancia em relação à pessoa com quem se falava. Por exemplo, um coleccionador de cels ( as folhas de plástico tranparentes que os animadores pintam ), teria uma vasta rede de contactos que o ajudariam a procurar cels raras. Esses contactos seriam simultaneamente familiares e nada íntimos. Outra hipótese, é a de que uma escritora japonesa conhecida nos anos oitenta, Moto Arai, que se referia aos seus leitores com extrema formalidade, tratando-os por otaku, tivesse ajudado a que o uso do termo se espalhasse. Mas, encontrei nas minhas leituras outras explicações, todas elas possíveisSeja como for, a palavra aparece muitas vezes carregada de descriminação e conotações negativas. Há um esteriotipo do otaku : alguém que não tem modos ou sensibilidade social ou qualquer interesse para além da sua obsessão. Parece que entre a comunidade otaku, há quem se ria deste género de pessoa, tendo existido em determinada altura um badge com uma linha vermelha traçada sobre uma figura deste tipo.
OKADA TOSHIO, otaku, fundador do GAINAX, um estúdio de animação criado nos anos oitenta, de início com poucos meios, por um grupo de jovens entusiastas de anime, e que se tornou famoso, é hoje lente na Universidade de Artes de Osaka. Entrevistado por P. W Galbraith, diz que um otaku é alguém mais inteligente do que a média das pessoas mas que escolhe dedicar-se a hobbies considerados infantis. " They understand high culture (...) but nonetheless insist that anime and manga are better. That is otaku. "
OKADA faz uma distinção importante entre otaku e mania. Otaku significando alguém com um cnhecimento geral e uma cultura partilhada e mania indicando alguém que não consiga ver para além de um único e específico interesse. Os verdadeiros otaku no Japão, estão segundo ele a desaparecer. Mas, os estrangeiros sequiosos por entender aquilo que através da manga e anime lhes é revelado de uma cultura misteriosa, poderão tornar-se otaku. " That desire to study and learn is very otaku. "
Assim, tenho uma confissão a fazer aos meus leitores. Gosto, como já devem ter percebido de manga e anime, mas acima de tudo tenho um desejo imenso de estudar e entender, sob todas as vertentes uma cultura que considero fascinante. Saio pouco, e não tenho muita paciência para relações sociais do género "conversa de elevador". Sou portanto uma séria candidata ao título de otaku, palavra que não quero ver traduzida por " fanática ".

Post Scriptum: As fotos acima, são de trabalhos do japonês TAKASHI MURAKAMI , um otaku da primeira geração, cuja obra transpira referências de manga e anime.

0 comentários:

Blogs Amigos e Recomendados

 
Copyright © 2010/2011 Banzai.
Template customizado por Meri Pellens. Tecnologia do Blogger